São Paulo - Assim como diversas outras marcas, a Microsoft também lançou sua campanha em homenagem ao Dia Internacional da Mulher na última terça-feira (8).

Para isso, a empresa tocou em um ponto importante, a representatividade feminina na sociedade, e fez uma pergunta que deve ter colocado muita gente para refletir a respeito.

No filme, meninas em idade escolar falam sobre inventores que mudaram o mundo com suas criações. A grande questão se revela quando elas são questionadas a respeito de quantas dessas personalidades sobre as quais elas aprendem na escola são mulheres.

O silêncio e a confusão das meninas só não é maior que a problematização feita por elas próprias a respeito de como as grandes figuras femininas estão, em sua maioria, apagadas na história.

Ao final, a Microsoft se propõe a incentivar essa nova geração de inventoras em potencial a insistirem em suas ideias e mudarem esse quadro.

A gigante da tecnologia aproveitou o momento para lançar também o novo projeto de incentivo a programadoras.

"Eu posso programar", como foi batizado, é resultado de uma parceria com 15 ONGs e tem como objetivo incentivar garotas a investirem na carreira.

Na plataforma do programa a Microsoft oferece cursos online sobre desenvolvimento de sites, jogos etc.

Tópicos: Ciência, Comerciais, Feminismo, Microsoft, Empresas, Tecnologia da informação, Empresas americanas, Empresas de tecnologia, Mulheres, Tecnologia