Bangcoc - Uma empresa tailandesa retirou nesta sexta-feira um anúncio que estava no ar no YouTube de pastilhas de beleza que teriam efeito branqueador, após ser criticada por desvalorizar as peles escuras, informaram fontes da companhia.

Um porta-voz da equipe de marketing da empresa Seoul Secret Thailand disse à Agência Efe que o anúncio foi suspenso temporariamente enquanto a direção da companhia toma uma decisão, após a chuva de críticas nas redes sociais.

O vídeo promocional mostra uma popular modelo e atriz que destaca a importância de manter sua pele branca para chegar ao estrelato.

Em um momento do anúncio sua pele vai escurecendo, enquanto uma segunda modelo mais jovem parece ocupar seu posto, ressaltando a importância de ter a pele clara.

Embora não seja a primeira vez que um anúncio ridiculariza as peles mais escuras, desta vez as redes sociais se encheram rapidamente de reprovações.

Em 2013, a filial tailandesa da multinacional Unilever se desculpou por um concurso de beleza entre universitárias para escolher a de pele mais branca.

Nesse mesmo ano, a bebida Verena L-Gluta Berry, também com propriedades branqueadoras, utilizou uma modelo maquiada para parecer ser uma negra junto com pais africanos para depois afirmar que por sorte poderia clarear sua pele com a bebida.

Uma pele mais clara é um sinal de status em muitas partes da Ásia, onde a tez escura é identificada com os camponeses queimados pelo sol nos campos de arroz.

A tailandesa Nonthawan "Maeya" Thongleng, vencedora do Miss Tailândia Mundo 2014, surpreendeu muitos em seu país por sua cor amorenada, incomum na maioria das modelos e atrizes que prosperam na carreira nos países asiáticos.

Tópicos: Racismo, Preconceitos, Ásia, Tailândia, YouTube, Google, Empresas de tecnologia, Empresas de internet