São Paulo - A grife Farm está sofrendo uma enxurrada de críticas desde terça (9), após publicar uma foto no Instagram. O post abriu nova discussão sobre o racismo.

Na foto, uma modelo representa Iemanjá. O problema é que ela é branca. E muita gente considerou isso um absurdo.

Para muitos clientes, era essencial a representação de uma mulher negra.

Até o rapper Emicida se manifestou no post: "Usar a cultura afro como base de criação de elemento de autenticidade sempre. Empregar modelos negros nunca. Racismo brasileiro onde ninguém é e assim todos são livres para continuar sendo sem culpa. Triste, mas sem novidade. #ubuntu"

A Farm, em resposta, publicou um vídeo onde mostrava um desfile recente com modelos negras.

Ela disse:

"Ficamos muito tristes ontem. Não por termos sido criticados, mas porque exatamente neste momento, e na contramão do que foi dito, estamos com uma coleção linda e sincera em homenagem à cultura negra, e suas conquistas, toda pronta, que vocês irão conhecer no próximo inverno. Já apresentamos pro atacado a coleção e fotografamos a campanha, que mostra como admiramos a beleza negra e não precisamos tratá-la de forma clichê. Reconhecemos que vivemos num pais multirracial e temos orgulho disso. mas ainda existe muito a ser feito, claro! Obrigado a todos que se manifestaram, esperam e exigem uma atitude coerente. Isso mostra que este espaço é democrático. Estamos atentos a isso e sempre, procurando evoluir".

Tópicos: Gafes de marketing, Marcas, Setores, Moda, Racismo, Preconceitos