No momento em que a atuação do Conar está inserida no debate sobre o comercial "Digitau" do Itaú criado pela Africa, o órgão de autorregulamentação da propaganda no Brasil vai se posicionar através de seu mais novo filme "Fifi", criado pela AlmapBBDO e produzido pela Sentimental.

Com o mote de "Quem cria, nem sempre percebe o que há de errado. Na propaganda também é assim", a campanha busca esclarecer ao público a natureza da instituição.

Com o tom de humor, o vídeo mostra a história de uma senhora que cuida de um gambá pensando se tratar de uma cachorrinha de estimação.

No fim, a narração do comercial elucida que nem sempre quem cria se dá conta dos equívocos que comete ou pode vir a cometer. O filme encerra com a mensagem:

"Por isso existe o Conar, que escuta os consumidores e cobra ações do mercado publicitário. Conheça o Conar."

O filme "Gambá" pode ser visto em duas versões, uma de 30 e outra de 45 segundos. A direção é da Dupla Amnésia e as gravações foram feitas em São Paulo utilizando um robô animatronic que imitava o animal. Além do comercial, a campanha também conta com anúncios impressos.

Segundo nota para a imprensa, a ideia do Conar é deixar claro ao público que a sua missão é ouvir a opinião do consumidor sobre propaganda e cobrar ações do mercado de modo democrático e transparente.

A explicação parece pertinente, sobretudo se você se atentar a imensa maioria dos comentários sobre a iniciativa do Conar em julgar a peça do Itaú, que faz parecer que muita gente ainda não conhece as funções e missões do órgão.

Tópicos: Bancos, Finanças, Conar, Itaú, Empresas, Empresas brasileiras