Geralmente as campanhas preferidas pelos criativos são aquelas com uma ideia mirabolante, grandes sacadas e superprodução. Isso não significa, entretanto, que uma comunicação simples e direta não possa cumprir o seu papel de maneira eficiente junto ao público alvo.

Por meio de uma campanha produzida pela Artplan, a Amil inicia a nova fase do seu movimento "Obesidade Infantil NÃO", que, desde 2014, tem alertado milhares de brasileiros sobre a doença que atinge uma em cada três crianças no Brasil, segundo dados do Ministério da Saúde.

Com o mote "Eu Digo Não", a campanha deste ano visa alertar os pais para uma tarefa nada fácil na arte de educar: impor limites aos pequenos quando querem comer ou beber algo que foi proibido ou negado.

Para sensibilizar os pais, a Artplan produziu, para as redes sociais da empresa, um minidocumentário que traz personagens e histórias reais.

No vídeo, crianças são gravadas contando suas mais criativas e ousadas artimanhas para convencer os adultos a deixá-las comer o que desejam.

Em seguida, os pais assistem à gravação e, comovidos, revelam para as câmeras situações que acontecem em casa e a dificuldade para impor limite àqueles que mais amam.

Ainda no vídeo, ao serem questionadas por uma nutricionista se já ouviram falar em doenças como diabetes e hipertensão, as crianças mostram total desconhecimento.

Após dadas explicações sobre o risco das doenças relacionadas ao excesso de peso, os meninos e as meninas se mostram espantados, mas insistem que seguirão fazendo birra.

A campanha também tem extensão para TV, com dois filmes (de 15" e 30") no ar desde o último domingo (24/1, além de mídia exterior e peças em mídia impressa.

Nos próximos meses, uma série de seis vídeos com orientações da mestra em Educação Tania Zagury também será disponibilizado no site oficial do projeto (www.obesidadeinfantilnao.com.br).

A conversa sobre o movimento nas redes sociais segue com lançamento da página no Facebook (facebook.com/obesidadeinfantilnao) e do perfil no Twitter (@ObesidadeNao).

Confira abaixo o minidocumentário e o comercial:

Tópicos: Amil, Empresas, Setor de saúde, Serviços, Empresas abertas, Empresas americanas, Comerciais, Obesidade