GM aposta em Camaros que se transformam em robôs na China

A continuação da franquia de filmes "Transformers" dá à GM uma ferramenta de marketing

Southfield e Londres – Enquanto “Transformers: A era da extinção” estreia nos cinemas, a General Motors aposta no mais recente capítulo da saga de robôs-aliens para ajudar a impulsionar as vendas da Chevrolet na China.

A continuação da franquia de filmes, que apresenta robôs guerreiros que se convertem em carros e caminhões, estreia hoje na China e nos EUA e inclui veículos como o carro esportivo Chevrolet Camaro e o mini SUV Trax.

O quarto filme da série dá à GM uma ferramenta de marketing. A empresa está introduzindo seis modelos Chevrolets no país neste ano.

A meta “é usar a participação como trampolim para o lançamento de novos produtos”, disse Tim Mahoney, diretor global de marketing da marca Chevrolet, na semana passada, em uma entrevista.

A marca pode ter um estímulo útil na China. No ano passado, a Chevrolet não conseguiu igualar o ritmo de 16 por cento de crescimento dos veículos de passageiros no país. Suas vendas subiram 8,5 por cento, para 652.077 unidades.

Transformers mesclou o espetáculo de verão nos cinemas norte-americanos com a cultura do carro nos EUA de uma forma que ecoou na China, onde sua classe média vem impulsionando o maior mercado automotivo do mundo.

O relacionamento da GM com o Transformers remonta ao primeiro filme, de 2007, que incluiu um Chevrolet Camaro amarelo brilhante chamado Bumblebee.

Mahoney disse que tem visto o efeito do filme nas ruas da China, onde mais de 70 por cento dos carros esportivos Camaro são comprados na mesma cor do personagem. Nos EUA, isso ocorre com apenas 5 por cento.

“O amarelo é muito associado com a Chevy e eu acho que em grande parte, eu não posso provar, mas eu suspeito que em grande parte isso tem a ver com o Bumblebee”, disse ele.

Exposição na China

A GM, que tem sede em Detroit, planeja usar a Chevrolet para se expandir para cidades menores da China e para a região oeste do país.

O crescimento mais lento da marca no ano passado veio “por não ter o produto mais fresco nos segmentos de maior crescimento”, disse Bill Russo, presidente da Synergistics Ltd., uma empresa de consultoria com sede em Xangai, em um e-mail.

Cristi Vazquez, porta-voz da GM, preferiu não dizer quanto a empresa investiu para fazer parte do filme.

A exposição favorável no país asiático pode ser um benefício para a GM, já que a fabricante está na defensiva nos EUA por causa da forma como gerenciou um recall de 2,59 milhões de carros leves com problemas de ignição ligados a pelo menos 13 mortes.

Ed Welburn, diretor de design da GM, disse que notou o logotipo do Transformer em alguns carros Chevrolet ao dirigir por Xangai.

O número de salas de cinema na China triplicou entre 2008 e 2012, atingindo 13.118, segundo a EntGroup, uma empresa de pesquisas com sede em Pequim.

As receitas com bilheteria saltaram 36 por cento de 2011 a 2012, atingindo US$ 2,7 bilhões, e subiram para US$ 3,6 bilhões no ano passado, mostram dados da empresa Rentrak.

Chineses no elenco

“Transformers 4 será um filme muito importante para o relacionamento entre Hollywood e China”, disse Phil Contrino, analista-chefe do BoxOffice.com.

“A Paramount recrutou atores chineses para o filme, então há muito espaço para que os espectadores chineses se assegurem de que a empresa não está simplesmente vendendo um filme na China”.

Enquanto a GM trabalha para construir a Chevrolet na China, o filme mais recente da saga chega não apenas com atores da China, mas também com algumas filmagens feitas em Hong Kong, em um momento em que Hollywood também tenta capturar um mercado em crescimento.

De volta a Detroit, Welburn, o chefe de design, disse acreditar que o sucesso do Camaro no filme é simples. “O Camaro é uma espécie de herói do dia a dia e ele cumpre esse papel no filme”.