Globo diz que vídeo com Tufão foi marketing de emboscada

Em comunicado, emissora afirmou que estuda uma ação de perdas e danos

São Paulo – A rede Globo divulgou hoje um comunicado oficial sobre o vídeo criado pela agência VML em parceria com a Y&R, ambas do Grupo Newcomm, para Vivo. Na nota, a emissora classificou a ação como “uma das formas mais baixas de publicidade, conhecida como marketing de emboscada”.

No comercial, feito apenas para internet e publicado na página da Vivo no YouTube e na fan page da marca, no Facebook, o ator Murilo Benício aparecia interpretando o personagem Tufão, da novela Avenida Brasil, para destacar os benefícios da promoção Vivo Sempre Internet.

Alinhado ao conteúdo da novela Avenida Brasil, o filme foi publicado na última segunda-feira (8) e ficou no ar menos de 24 horas, mas ganhou grande repercussão na internet.

Segundo a Globo, a ação foi ilegal por desrespeitar os direitos autorais da obra e do personagem e os demais envolvidos na criação e produção da novela.

Conforme o comunicado da emissora, ainda, o ator Murilo Benício informou que gravou o comercial com a informação de que a campanha seria negociada com a emissora.

Assim que notificada pela Globo, a VML tirou o comercial dos canais oficiais da Vivo na internet. A agência afirma que está se empenhando para retirar também da internet todas as versões não-oficiais que surgiram em outros perfis.

Roberto Justus, CEO do Grupo Newcomm, assumiu publicamente o erro da agência. Segundo a assessoria de comunicação da empresa, Justus se retratou pessoalmente perante a rede Globo, e todas as medidas foram tomadas com a maior agilidade possível para preservar as excelentes relações do Grupo Newcomm com a emissora.

Leia o comunicado divulgado pela Central Globo de Comunicação

“A Globo notificou a Vivo  e as agências VML e Y&R exigindo o cancelamento da campanha que se apropriou, sem sua concordância, da imagem do personagem “Tufão” e do universo da novela “Avenida Brasil” .

Consideramos que foi praticada uma das formas mais baixas de publicidade, conhecida com “marketing de emboscada”.

Além de aética, a Globo considera que essa ação é ilegal porque desrespeita deliberadamente os direitos autorais da obra e do personagem e os demais envolvidos na criação e produção da novela.

O ator Murilo Benício informou que gravou com a informação que a campanha seria negociada com a emissora e quando viu no ar sem autorização também pediu que fosse tirada do ar.

A Globo considera esse episódio gravíssimo e, além das notificações e de ir ao Conar, estuda uma ação de perdas e danos causados em razão da violação de seus direitos.”