Protesto na web dá roupas da Abercrombie a moradores de rua

Movimento é contra estratégia da marca de focar em consumidores "descolados"

São Paulo – Abercrombie & Fitch ganha um reposicionamento de marca. Com esse título, o usuário americano Greg Karber postou no Youtube nesta terça-feira um vídeo-protesto contra a marca Abercrombie & Fitch e deu início ao que chama de movimento de guerrilha #FitchTheHomeless.

A ideia de Karber é distribuir peças da marca para moradores de rua em reação à decisão da companhia que teria banido roupas nos tamanhos G e GG, para focar em consumidores “descolados, bonitos e magros”. A estratégia, explicada no livro As Novas Regras do Varejo, em tradução livre) de Robin Lewis e Michael Dart, repercurtiu nas redes sociais dos Estados Unidos no começo desta semana.

Karber gravou o vídeo em Los Angeles com a ajuda de dois amigos. Após munir-se de peças de roupa em lojas e shoppings, o usuário dirigiu-se às zonas de menor renda na cidade para doar os trajes à desabrigados.

Não é de hoje que a varejista é agressiva em sua busca por consumidores “melhores”. Em 2006, o CEO Mike Jeffries deu uma entrevista polêmica ao site Salon afirmando que a marca é, sim, excludente. “Em toda escola há adolescentes que são legais e populares, e há aqueles que não são tão legais. Nós estamos atrás dos legais”, afirmou.

O vídeo de Karber termina com uma convocação: ele quer que novos internautas façam o mesmo e postem os resultados nas redes sociais. “Juntos, podemos fazer da Abercrombie & Fitch a marca número um entre moradores de rua”. Assista à campanha abaixo.