Caixa se explica após “branquear” Machado de Assis em comercial

Veiculada nesta semana, campanha publicitária foi alvo de críticas até dentro do governo

São Paulo – No início desta semana, a Caixa Econômica Federal começou a veicular a campanha publicitária que comemora os 150 anos do banco. O comercial, porém, esbarrou em uma gafe que gerou polêmica entre os telespectadores e até críticas do próprio governo, de acordo com o site Folha.com.

No filme, com duração de um minuto, a atriz Glória Pires narra uma história em que o célebre escritor Machado de Assis (1839-1908) teria sido correntista do banco. A questão é que o ator que interpreta o escritor é branco. Machado de Assis, no entanto, era mulato.

Em nota, a Secretaria de Políticas de Promoção da Igualdade Racial (Seppir), órgão do Governo Federal, se manifestou sobre o caso dizendo que “é lamentável que tenha havido esse deslize numa campanha que vem sendo desenvolvida numa linha educativa e instrutiva que inclusive já retratou fatos históricos desconhecidos da população”. De acordo com a Seppir, qualquer medida só poderá ser tomada se uma pessoa ou entidade fizer uma denúncia na ouvidoria do órgão.

Por meio de sua assessoria, a Caixa se posicionou sobre a polêmica, afirmando que “o banco sempre se notabilizou pela sua atuação pautada nos princípios da responsabilidade social e pelo respeito à diversidade. Portanto, a Caixa sempre busca retratar em suas peças publicitárias toda a diversidade racial que caracteriza o nosso país”.

No comunicado, porém, o banco não informa se alguma alteração será feita no filme, exibido em TVs abertas e fechadas – em horário nobre na rede Globo -, cinemas, e ainda em veículos impressos.

Assista ao filme: