Thomas Bach apresenta candidatura para suceder Rogge no COI

A candidatura do vice-presidente do comitê abre a concorrência ao principal cargo da instituição

Berlim – O vice-presidente do Comitê Olímpico Internacional (COI), o alemão Thomas Bach, apresentou nesta quinta-feira a sua candidatura para suceder ao belga Jacques Rogge na presidência da organização, abrindo assim a concorrência ao principal cargo da instituição.

Bach, de 59 anos e ex-campeão olímpico e mundial de esgrima, oficializou sua candidatura na sede da Confederação Olímpica do Esporte Alemão (DOSB, na sigla em alemão), em Frankfurt, onde assegurou que assume o desafiou de suceder a Rogge com “respeito e compromisso”.

O atual vice-presidente explicou também que já informara Rogge e os demais membros da organização de sua decisão de concorrer à presidência, eleição que acontecerá na 125ª Assembleia do COI, em 10 de setembro, em Buenos Aires.

“Dediquei grande parte da minha vida ao esporte, desde minha infância até hoje. Sou consciente da grande tarefa que representa presidir o COI, mas minha trajetória me deixa convencido de que estou preparado para isso”, explicou.

Caso seja eleito, será “um grande reconhecimento para o esporte alemão”, enfatizou Bach, que será o segundo candidato do seu país a tentar a presidência do COI, após Willi Daume fazer o mesmo em 1980.


Membro do COI desde 1991, Bach é bem visto por ser discreto, mas, por outro lado, é tido como excessivamente tímido e sem carisma. O alemão também é considerado pragmático, tranquilo, muito trabalhador e perfeccionista.

Apesar de sua discrição, Bach vem sendo preparado para assumir o COI desde que o espanhol Juan Antonio Samarach, antecessor de Rogge, o apadrinhou em sua carreira de ascensão no organismo.

Advogado de profissão, o alemão se dedicou à esgrima, sendo campeão de florete por equipes nas Olimpíadas de Montreal, em 1976, assim como campeão mundial nessa disciplina em 1976 e 1977.

Bach se tornou membro do COI em 1991 e cinco anos mais tarde foi eleito membro de sua Comissão Executiva. Foi vice-presidente do organismo em duas ocasiões: entre 2000 e 2004 e desde 2006 até hoje.

Em 1996, presidiu a Comissão de Avaliação para as Olimpíadas de 2004; em 1998, fez parte da comissão criada para investigar os subornos oferecidos pela candidata americana Salt Lake City a membros do COI; e desde 2002 preside as comissões Jurídica e de Esporte e Lei.

Em maio de 2006, Bach foi eleito primeiro presidente da Confederação Olímpica do Esporte Alemão, que na Alemanha é fruto da fusão do Comitê Olímpico Nacional (NOK) e da Confederação do Esporte Alemão (DSB).