Sem documento entregue no prazo, Neymar não jogará no sábado

Assim, o astro será apenas apresentado aos torcedores do PSG antes do jogo deste sábado no Parque dos Príncipes

Paris – Depois de ter se apresentado oficialmente como reforço nesta sexta-feira e se colocado à disposição para jogar pelo Paris Saint-Germain já na estreia da equipe neste Campeonato Francês, Neymar não poderá jogar pela primeira vez pelo seu novo time neste sábado, na partida contra o Amiens, às 12h15 (de Brasília), no estádio Parque dos Príncipes.

Veículos da imprensa da França noticiaram na noite desta sexta que a liga francesa confirmou não ter recebido a tempo o certificado internacional de transferência, um documento obrigatório para homologação do contrato do atacante, que se tornou protagonista da transação mais cara da história do futebol após o clube da capital parisiense pagar a multa de rescisão contratual de 222 milhões de euros (cerca de R$ 819 milhões) para tirá-lo do Barcelona.

Esta documentação precisava ter chegado à liga francesa até a meia-noite desta sexta, que era o prazo final para entrega do mesmo para que o brasileiro pudesse ser regularizado como jogador do PSG e consequentemente ganhasse condições legais para estar em campo neste confronto válido pela primeira rodada da edição 2017/2018 da competição nacional.

O jornal L’Equipe noticiou que a Real Federação Espanhola de Futebol não enviou dentro deste prazo máximo a documentação necessária para que Neymar pudesse ser inscrito no Campeonato Francês.

Assim, o astro será apenas apresentado aos torcedores do PSG antes do jogo deste sábado no Parque dos Príncipes e depois deverá ficar apto para estrear pelo seu novo time em partida contra o Guingamp, no próximo dia 13, fora de casa, pela segunda rodada do Campeonato Francês.

O atacante assinou um contrato de cinco temporadas com o time de Paris e terá um salário anual líquido estimado em 30 milhões de euros (cerca de R$ 110 milhões).

E a sua transação recorde mais do que dobrou o valor da contratação que até então era a maior da história e havia sido registrada no ano passado, quando o Manchester United desembolsou 105 milhões de euros (aproximadamente R$ 387 milhões) para tirar o francês Paul Pogba da Juventus.