Reatar relacionamento pode não ser boa opção, diz pesquisa

Pesquisa comprova que tentar voltar atrás é (quase) certeza de mais frustração

São Paulo – Sabe quando vem aquela vontade de reatar um relacionamento. Pois é, não caia nessa. É provável que você tenha passado por uma dessas e saiba que a chance de dar certo não é das maiores. Mas agora veio a comprovação científica. Essa é a constatação da pesquisadora Amber Vennum, da Kansas State University, dos Estados Unidos.

Segundo as explicações dela, os casais que partem para uma segunda chance sofrem de ansiedade. Decisões que demoraram anos e não foram tomadas – morar junto, por exemplo – acabam sendo “banalizadas”, digamos assim.

O problema vale também para aqueles casais que viveram no eterno vai e volta sentimental. De acordo com o levantamento, eles apresentaram maiores problemas de comunicação, se mostraram mais inseguros e insatisfeitos com os parceiros.

Para Amber, grande parte dos casais decide tentar a reconciliação por acreditar na mudança do parceiro. Tudo ilusão. Mesmo nos casos em que a volta resultou em casamento, o relacionamento continua balançando por conta do término.

Os casados pós-rompimento se mostram incertos, menos felizes e com grande propensão a brigar, podendo se separar já nos três primeiros meses de aliança na mão. E aí, vai arriscar mesmo sabendo que o risco de se dar mal novamente é grande?