Praia paga é novidade em programação de verão no Rio

Acesso a clube privado ao lado de Copacabana pode custar até R$ 5 mil

Rio – Cardápio refinado, preparado pelos melhores chefs; trilha sonora de DJ’s internacionais; hidromassagem e heliponto. Um cenário paradisíaco e exclusivo ao lado da praia mais movimentada do verão carioca, Copacabana. O primeiro clube privado nas areias do Rio, com inauguração prevista para o dia 28, é uma das novidades que cariocas e turistas vão encontrar na estação mais aguardada da cidade – antecipada pelas temperaturas acima de 40º sentidas desde o início do mês.

Tanto conforto terá um preço. O acesso ao Clube Aqueloo, como o espaço é chamado, pode custar até R$ 5 mil – de consumação mínima – em um camarote para até 20 pessoas. O valor por pessoa na área comum ficará R$ 60, nas quintas e sextas-feiras, ou R$ 250, nos finais de semana. “São serviços que não existem no Rio hoje, algo realmente exclusivo, com muito conforto e segurança total em um lugar de beleza única”, justifica o empresário Daniel Barcinski, um dos sócios do projeto.

A inspiração veio de clubes europeus e algumas experiências que existem também nas praias de Jurerê, em Florianópolis, e Trancoso, na Bahia. No Rio, o clube será instalado em uma praia exclusiva, entre as pedras do Forte de Copacabana. A faixa de areia neste local só aparece no verão, quando a maré está baixa. A área pertence ao Exército, e foi alugada por R$ 300 mil em meio a polêmica com os moradores do bairro.

O local só funcionará até março, quando a faixa de areia é novamente tomada pelo mar. Para animar os 500 privilegiados, o espaço também oferecerá uma programação de música eletrônica, com DJs de clubes famosos em Londres, Alemanha e Portugal. A ideia é ter uma atração internacional de destaque toda semana. “Estamos acreditando que este vai ser o projeto mais comentado do verão. Em março, quando encerramos o clube, as pessoas vão se arrepender de não ter ido.”


Mudanças

Do lado de fora do clube, o público também vai encontrar novidades. As praias receberam, desde o último sábado, novos guarda-sóis estilizados, com estampas criadas sob inspiração das paisagens cariocas pela designer Leila Fittipaldi. Com o custo de R$ 1,2 milhão, bancado por uma cervejaria, cerca de 40 mil sombreiros serão distribuídos para aluguel pelos barraqueiros da zona sul do Rio, entre o Flamengo e o Leblon.

A intenção era diminuir a poluição visual da orla, reclamação constante de moradores e banhistas. Os sombreiros utilizados até o último verão eram vermelhos, cor alusiva à patrocinadora dos guarda-sóis. “Antes, parecia que estávamos no Saara ou na 25 de março, tamanha a poluição visual. Era agressivo”, explica a designer responsável pelo projeto.

Agora, a marca dos patrocinadores fica estampada na parte interna dos guarda sois. As novas estampas ganharam cores pasteis e desenhos que lembram os Arcos da Lapa e o Calçadão de Copacabana. Leveza e discrição foram as ideias chaves para as estampas, que formam um mosaico retrô nas areias cariocas.

“As pessoas comentaram que as cores e formas resgatam a praia dos anos 1970. Não foi pensado, mas realmente traz uma leveza desse tempo, que não havia interferência na paisagem. A praia já é tão linda e não precisa de adorno, pelo contrário, quanto menos, melhor, porque ela já oferece o que há de bonito em seu cenário”, afirma Fittipaldi.


Shows

Além dos sombreiros, as praias receberão novos chuveiros e acessos para pessoas com dificuldade de locomoção. As intervenções foram escolhidas pelos cariocas em uma votação na internet e serão financiadas também por uma cervejaria em parceria com a ONG Rio Eu Amo Eu Cuido. As obras devem ser iniciadas a partir de janeiro e a ação integra o projeto `The Endless Summer’ – ou `verão sem fim’ – no Arpoador, Ipanema, Barra da Tijuca e Niterói.

Entre as atividades promovidas estão shows e aulas gratuitas de surfe e stand up paddle até fevereiro. Toda a programação é aberta ao público. Nos palcos do projeto, iniciado no último sábado (15), estão previstos shows de Rogê Brasil, Armandinho, Gabriel O Pensador, e BNegão e Tom Curren. O público já conferiu shows de Donavon Frankenreiter, que participa de um documentário filmado nas praias do Rio durante o projeto.