Phelps quebra recorde olímpico de 2 mil anos

Até agora, ninguém tinha conseguido superar as 12 medalhas de ouro de Leônidas de Rodes, um super atleta que competiu entre 164 e 152 a.C

Com 26 medalhas no total, o nadador americano Michael Phelps é o atleta olímpico com mais conquistas dos últimos tempos. E na última quinta (11), ele arrebatou mais uma vitória – dessa vez histórica – para a coleção: com a sua 13ª medalha individual de ouro, nos 200 m medley, se tornou o maior medalhista em provas individuais – um recorde que ficou insuperado por 2.168 anos.

Antes de Phelps, só um cara tinha alcançado essa proeza: o grego Leônidas de Rodes. Nascido em 188 a.C., ele competiu em quatro olimpíadas – entre 164 e 152 a.C -, e era considerado, assim como o nosso “Tubarão de Baltimore”, o maior campeão olímpico individual da época. Faz sentido: aos 36 anos, o atleta acumulou 12 coroas de louros – o equivalente à medalha de ouro naqueles tempos.

O negócio de Leônidas não era nadar, e sim correr. Só que, assim como o campeão de natação, o grego era perito em várias modalidades dentro de seu esporte – ele foi tetracampeão na corrida de 200 m e em duas outras categorias que hoje não existem mais, o diaulo e o hoplitódromo.

Diaulo é uma corrida de ida e volta, de aproximadamente 400 m, semelhante à nossa prova atual dessa distância. Já o hoplitódromo era uma competição mais pesada: os 400 m eram percorridos pelos atletas enquanto eles vestiam uma armadura militar e carregavam um escudo, somando um peso extra de 25 kg.

Além de tudo, na época do ano em que as olimpíadas aconteciam, a temperatura podia chegar a 40°C. Quem praticava esse esporte, então, precisava não só ser ágil e forte, mas também ter uma resistência assustadora – por isso, a prova era conhecida como “corrida de soldados”.

Não admira que um atleta que vencesse essas três competições em uma mesma olimpíada fosse tido como um grande herói: esses caras ganhavam o título de triastes – e Leônidas era um desses.

Para você entender como ele era acima da média, saiba que só existiram sete triastes na época, e esse grego específico foi o único a alcançar essa honra mais de uma vez.

De fato, o atleta conseguiu o título quatro vezes no total. Na quarta conquista, Leônidas tinha 36 anos, e já estava “velho” para os padrões dos atletas – assim como Phelps, que alcançou suas últimas quatro medalhas esse ano, aos 31.

Até hoje, só outros dois atletas além deles conseguiram arrebatar quatro medalhas de ouro individuais consecutivas: os americanos Al Oerter, no arremesso de disco, e Carl Lewis, no salto a distância.

Claro, se a gente for contar direitinho, Phelps tem muito mais medalhas olímpicas do que Leônidas: no total, o americano tem 26 – 13 ouros individuais, nove ouros em revezamentos, dois bronzes e duas pratas.

Mas, como na Grécia Antiga não existia nada além do primeiro lugar, e como também não havia provas de revezamento na corrida, a gente dá uma colher de chá pro Leônidas – afinal, o cara foi o único tetra medalhista individual campeão em mais de 2 mil anos de Olimpíadas.