Novo Nissan March ganha sofisticação e se aproxima do Kicks

Apresentado no Salão de Paris, hatch reproduz muitos dos elementos visuais do SUV

A quinta geração do Nissan March (chamado de Micra em diversos mercados) acaba de ser apresentada oficialmente no Salão de Paris.

E para nós, que já temos o Kicks por aqui, trata-se de uma visão familiar: o hatch incorporou diversas características que já fazem sucesso no SUV compacto.

Da grade frontal até as lanternas traseiras em formato de bumerangue, passando pelos vincos no capô e nas laterais e a ausência de pintura na coluna C (que dá a impressão de o teto ser “flutuante”, o novo March mostra que a identidade visual da Nissan para veículos compactos está definida e será empregada em larga escala.

(Divulgação)

 

(Divulgação)

Outras novidades se destacam, como as maçanetas das portas traseiras escondidas na coluna B (como no HR-V) e um pequeno spoiler incorporado na traseira, dando mais dinâmica ao teto flutuante.

O coeficiente aerodinâmico é de apenas 0.29. Nas medidas, ele ficou 17,4 cm mais comprido, 7,7 cm mais largo e 5,5 cm mais baixo que o anterior.

(Divulgação)

 

(Divulgação)

Interior sobe de categoria

Por dentro, a referência ao Kicks continua: o painel é quase idêntico, mudando apenas a disposição dos instrumentos, sem a tela digital que ocupa todo o lado esquerdo do SUV. 

Volante, saídas de ar-condicionado e a central multimídia de 7 polegadas são as mesmas. A construção e os materiais ganham um salto de qualidade.

(Divulgação)

O espaço interno foi ampliado graças ao entre-eixos 7,5 cm maior. A posição de dirigir ficou mais baixa e esportiva – uma ousadia da Nissan frente à tendência de SUVzação dos automóveis, com bancos cada vez mais altos, como no caso do próprio Kicks. O volante com assistência elétrica agora pode ser ajustado em altura e profundidade.

(Divulgação)

No Velho Continente, o March terá um extenso pacote de auxílios ao motorista até então só vistos em segmentos maiores, como alerta de mudança de faixa, reconhecimento de pedestres com frenagem de emergência, câmeras 360°, reconhecimento de placas de trânsito, assistente para o uso de farol alto e assistente de ponto cego.

(Divulgação)

Outro item que chama a atenção é o sistema de som desenvolvido em parceria com a Bose (marca tradicionalmente ligada ao segmento premium) que inclui alto-falantes montados no banco do motorista, para uma experiência de imersão ainda maior.
Motores e dirigibilidade

A Nissan anuncia dois motores para equipar o novo March na Europa: um 0.9 litro de três cilindros turbinado com 90 cv e 14,3 mkgf (com opção de overboost que eleva o torque para 15,3 mkgf) e um 1.5 de quatro cilindros a diesel com 90 cv e impressionantes 22,4 mkgf de torque.

(Divulgação)

No futuro próximo, a linha deve ganhar mais uma opção de entrada: um 1.0 de três cilindros aspirado com 73 cv e 9,7 mkgf. O câmbio, por enquanto, é apenas manual de cinco marchas.

Outros dois auxílios de condução vindos do Kicks são o Active Ride Control (estabilizados ativo da carroceria) e o Active Trace Control (controle dinâmico em curvas), que incorporam algumas funcionalidades extras aos controles de estabilidade e tração convencionais.

(Divulgação)

Segundo a própria Nissan, o novo March foi feito com foco no mercado europeu. Isso explica o enorme ganho em sofisticação, mas pode complicar / atrasar sua ida para mercados emergentes – caso ele venha para o Brasil com tudo o que foi descrito, é quase impossível imaginar que seja mantido na mesma faixa de preço atual.

O carro começa a ser fabricado na fábrica da Renault em Flins, na França. As vendas na Europa devem começar em março de 2017. A produção no México também deve ocorrer em breve, para abastecer o mercado americano. Por enquanto, porém, não há previsão de chegada na América Latina.