Los Angeles - Whitney Houston morreu depois de ingerir um coquetel de drogas e álcool, informaram os médicos forenses de Los Angeles em seu relatório final, destacando que cocaína foi encontrada no quarto da cantora.

Houston "possivelmente tomou uma overdose de uma substância narcótica, medicamentos com prescrição, medicamentos de venda livre e álcool", afirmou um minuncioso relatório forense final que descarta a eventualidade de um crime.

O novo documento, de 42 páginas, oferece detalhes adicionais ao relatório divulgado no mês passado. O primeiro concluiu que a cantora afogou-se acidentalmente após se drogar com cocaína, o que havia desatado um ataque cardíaco.

Em 11 de fevereiro, a artista de 48 anos foi encontrada submersa na banheira de seu quarto no hotel Beverly Hilton, informou o escritório forense de Los Angeles no texto divulgado nesta quarta-feira.

Detalhando as condições do corpo, o documento afirma que "havia sangue saindo do nariz" da cantora.

Também informou que em seu quarto foi encontrada uma substância identificada posteriormente como cocaína. "No balcão, havia uma pequena colher com uma substância parecida com cristal, um pedaço de papel e outras miscelâneas".

"Na gaveta superior havia restos de pó branco e um espelho portátil", completou.

Também foram encontrados 12 frascos de diferentes medicamentos.

O texto detalha a cena vista pelos investigadores ao chegar ao local, depois que o corpo foi retirado da banheira e colocado no chão do quarto, onde o tapete estava molhado pela água que saía da banheira.

"Havia lesões superficiais no lado esquerdo de seu rosto e outra na parte esquerda de seu nariz", completou.

A cantora de sucessos como "I Will Always Love You" vendeu cerca de 170 milhões de discos em sua carreira de quase três décadas, mas teve de enfrentar uma batalha contra o abuso de drogas enquanto tentava preservar seu talento artístico.

Tópicos: Artistas, Celebridades, Estados Unidos, Países ricos, Mortes