São Paulo - Trair não é tarefa fácil. Principalmente em tempos de redes sociais, que podem servir de ferramenta de controle para os parceiros mais desconfiados. É aí que entra o Ohhtel, site especializado em encontrar amantes de forma discreta, que lançou uma versão brasileira, na última segunda-feira (12/07).

Este já é o segundo site voltado para traição a ser inaugurado no país. Desde maio deste ano, o serviço holandês Second Love está disponível para brasileiros. O bem-sucedido site Ashley Madison, também dos Estados Unidos, deve lançar sua versão tupiniquim em agosto.

O Ohhtel, baseado nos Estados Unidos, defende que o site é uma opção para as pessoas casadas que já não tenham vida sexual ativa com o parceiro e não estejam dispostas a se divorciar.

É para garantir essa “estabilidade” no relacionamento dos adúlteros que a empresa promete total discrição sobre os dados do usuário. Só quem concorda com as condições do site tem acesso a ele, ninguém pode ver as informações pessoais dos cadastrados e não é necessário sequer o nome para se inscrever.

Para criar um perfil, basta dizer a idade e o sexo. A empresa ainda aconselha o usuário a criar um e-mail específico para o serviço e incentiva o uso de apelidos. A foto pode ser postada de forma privada, para que só pessoas autorizadas a vejam, o nome do site não aparece na fatura do cartão de crédito e ainda há opção para pagamento em dinheiro.

O cadastro é gratuito para as mulheres. Já os homens precisam pagar uma taxa inicial de 60 reais para fazer parte do clube.

Toda essa privacidade é garantida pela empresa apenas dentro do meio virtual. Se os usuários quiserem colocar em prática a traição, os encontros clandestinos são por sua conta e risco.

Tópicos: Casamento, Divórcio, Família, Ohhtel, Internet, Sites