São Paulo - Em tempos em que corpos esculturais desfilam Brasil afora nas semanas de moda, confira algumas sugestões para fortalecer a autoestima e lidar com o ataque à geladeira causado por tensão emocional; tecnologia pode ajudar

Com as Semanas de Moda nacionais, São Paulo Fashion Week e Fashion Rio dia 6/11, um assunto que entra em voga - além das tendências para a estação - é o corpo das modelos. Em um país em que 51% da população está acima do peso, de acordo com dados recentes do Ministério da Saúde, a magreza das beldades reforça o ideal do corpo magro, e pode gerar frustração para quem tenta alcançar o peso desejado e não consegue. Uma batalha que geralmente tem na ansiedade um dos maiores inimigos.

“A ansiedade ativa centros nervosos ligados às emoções e as glândulas hormonais são disparadas, o que gera a sensação de estômago vazio. Os alimentos tornam-se uma válvula de escape”, explica o químico, pesquisador e um dos maiores especialistas em biofeedback do país, Marco Fábio Coghi, diretor da Neuropsicotronics. De acordo com Coghi, quando a pessoa convive de forma constante com a ansiedade, outra consequência é a liberação do cortisol, hormônio do estresse, que sobrecarrega o organismo. “Com isto, a pessoa precisa de mais energia para conviver neste estado, fazendo com que o indivíduo queime massa muscular e transforme-a em gordura”.

Algumas atitudes, no entanto, podem ajudar a ter uma vida mais saudável, controlando a ansiedade e também o consumo de alimentos em excesso. “O estresse e a ansiedade estão hoje entre os maiores causadores de doenças no mundo e a comunidade científica têm concentrado forças para descobrir novas formas de lidar com estes males. Pequenas mudanças de vida também fazem toda a diferença”, explica o pesquisador.

7 dicas para lidar com a ansiedade e não descontar na comida

Dica 1. Ame quem você é

Estar bem consigo mesmo é fundamental para controlar a ansiedade. Cuidar da alimentação é importante para a saúde, mas magreza não significa corpo saudável e muito menos felicidade.

Dica 2. Ouça seu corpo

As técnicas de biofeedback começaram a ser estudadas na década de 60 e, hoje, configuram-se como o método não invasivo e não medicamentoso com um dos melhores resultados para controle do estresse e da ansiedade. Recentemente, uma tecnologia pioneira desenvolvida por pesquisadores brasileiros de biofeedback cardiovascular têm mostrado resultados comprovados no controle destas condições. Denominado cardioEmotion (http://cardioemotion.com.br), a tecnologia mede as respostas fisiológicas do coração e, por meio delas, propõe jogos interativos controlados pela respiração e concentração.

Este treinamento conduz o organismo a um estado chamado coerência cardíaca, em que respiração, frequência cardíaca e pressão arterial estão em sincronia, aumentando a imunidade e regulando alguns hormônios, como o cortisol. Pesquisadores recomendam a prática diária de 20 minutos como ferramenta complementar-integrativa para ajudar na redução do stress, insônia, ansiedade, hipertensão e depressão.

Dica 3. Pondere os pensamentos

Quando surgir o sentimento de ansiedade, procure avaliar e dimensionar a situação que está causando este mal, pois, o que parece o fim do mundo, pode ser algo passageiro. Analise de forma racional qual é a probabilidade do evento ameaçador realmente acontecer. Falas e pensamentos negativos só agravam o que se está vivendo.

Dica 4. Busque um hobby

Ansiedade e estresse caminham lado a lado. Busque realizar atividades prazerosas, descubra um hobby que se encaixe a seu perfil e distraia a mente. Atividades como yoga, meditação e massagem ajudam a ter uma vida mais equilibrada.

Dica 5. Exercitar é preciso

A prática regular de atividade física é fundamental para manter uma vida em equilíbrio, mente ocupada e otimizar a disciplina. Ao se exercitar, a produção de serotonina aumenta, o que também eleva a sensação de prazer.

Dica 6. Alguns alimentos ajudam

Quando a vontade de atacar a geladeira começar, procure ingerir alimentos mais saudáveis. Alguns nutrientes auxiliam a busca por equilíbrio, como as frutas vermelhas, que protegem o cérebro; frutas cítricas, que diminuem a liberação de cortisol; cereais integrais, que deixam o sistema nervoso mais saudável. Chocolate, quando consumido moderadamente, produz serotonina, eleva o bom humor e a sensação de bem-estar.

Dica 7. Procure ajuda profissional

Se a ansiedade for crônica e estiver afetando sua vida, não hesite em buscar ajuda profissional.

Tópicos: Alimentos funcionais, Saúde e boa forma, Boa forma, Fitness