Esqueça o Aston Martin: se eu fosse o agente 007, eu ia querer o novo Jaguar XJR. Um quatro portas estilo carro com chofer de dia; uma máquina turbinada à noite. Perfeito para escoltar M e Q para o quartel-general, bem como para perseguir uma bond girl vilã pelas estradas secundárias para Budapeste.

O XJ é o mais belo dos sedãs de luxo full-size. Com 17,2 pés (5,2 metros) de distância entre os eixos, ele nunca foi exatamente do tipo tímido. Mas a Jaguar decidiu que seu produto principal deveria ter o tratamento “R Performance”, dando a ele mais potência, mecânica e visualmente.

O preço do XJR começa em US$ 116.895 para o comum e US$ 119.895 para o modelo longo entre os eixos. O último é quase cinco polegadas (12,7 centímetros) mais longo, com um espaço extra nos bancos traseiros. Se você está comprando um carro grande e caro, não há razão para que você não opte por este.

A BMW e a Mercedes-Benz sempre tiveram divisões de desempenho bem sucedido. Faz sentido que a Jaguar (agora propriedade da Tata Motors Ltd. e em vias de um renascimento de pleno direito) esteja trabalhando vigorosamente sua própria linha R Performance. As partes adicionadas de força e performance redundam em carros mais caros e a Jaguar ficou muito séria a respeito de seu lado esportivo.

Fumaça dos pneus

Por exemplo, o velho XK cupê, que começa em torno de US$ 80 mil, está agora sendo oferecido na versão XKR-S GT por espantosos US$ 174 mil. O XFR-S, de tamanho médio, custa US$ 100 mil e tem 550 cavalos de potência. Estou ansioso para ver o tratamento R do novo conversível F-Type, cujos pneus já estão soltando fumaça.

O XJ já viu um tratamento R antes, mas o modelo XJR ano 2004 anterior era uma máquina muito reacionária, com um design antiquado. A última forma do corpo é mais atraente.

Couro sob medida

Mas primeiro o interior. Couro, couro, em toda parte, enrolado de forma ajustada e de forma apropriada em todos os contornos, incluindo três corcovas que levantam do painel contendo entradas de ar duplas e um relógio analógico.

Os designers da empresa gostam de teatro, e é um pouco brega e engraçado. As entradas de ar até emitem luz como parte de um estranho “pacote de iluminação” de US$ 1.700. Por outro lado, o carro que eu testei estava sem opções bobas, chegando a US$ 122.295.

Em um dos testes havia duas pessoas no assento traseiro e eu estava tentando escutar a conversa delas. O carro não deixa passar a maior parte do ruído de fora, mas mesmo assim eu não conseguia ouvi-las claramente. Por que elas estavam cochichando? Na verdade elas não estavam cochichando, só estavam muito longe. Longa distância entre os eixos, de fato.

Há indícios de sua natureza forte do lado de fora, incluindo soleiras laterais que se estendem para fora da carroceria e um lábio na borda do baú que funciona como um aerofólio. O carro que eu testei tinha rodas de 20 polegadas com um acabamento cinza tempestuoso nas bordas. A desvantagem para esses pneus de desempenho é que o carro não anda tão uniformemente quanto um XJ padrão, apesar de uma suspensão adaptável.

Então eu fui para uma pista de corridas, fingindo que eu estava em uma estrada secundária europeia em uma perseguição quente dos caras maus.

O Jaguar tem um ativo diferencial eletrônico que mantém a força no asfalto até mesmo acelerando nas curvas. Ele felizmente faz coisas que um sedã grande simplesmente não deveria ser capaz de fazer: fritar pneus, arrancada de apertar o peito e curva pela força G. t Eu poderia ter me sentido mal ao ser tratado dessa maneira, mas é exatamente para isso que o XJR L foi desenhado. Desnecessário? Totalmente. A menos, é claro, que você seja um superespião.

Tópicos: Carros, Autoindústria, Veículos, Jaguar, Montadoras, Luxo