São Paulo - Melhorar o que já parece quase perfeito é uma técnica que os alemães dominam como ninguém. E é exatamente isso que o novo SL 65 AMG faz questão de mostrar para todo mundo ver. Com apresentação agendada para o Salão de Nova York, que acontece em abril, a versão envenenada do roadster é equipada com um motor 6.0 V12 biturbo, que entrega 630 cv. Pelo menos o torque máximo é limitado a “apenas” 102 mkgf.

A transmissão escolhida pela Mercedes-Benz é a AMG Speedshift Plus 7G-Tronic, que oferece quatro modos distintos de condução para o motorista escolher: Efficiency (C), Sport (S), Sport Plus (S+) e Manual (M). Na primeira opção, aliás, o veículo ativa o sistema start-stop, que desliga o motor quando não está sendo exigido.

Com tantas modernidades, era natural pensar que o novo SL 65 AMG não faz feio frente aos rivais. Segundo a marca, ele acelera de 0 a 100 km/h em meros quatro segundos e atinge a velocidade máxima de 250 km/h, limitada eletronicamente. Apesar do ganho em desempenho, a Mercedes-Benz garante que o consumo de combustível está 17% menor em relação a seu antecessor.

A capota rígida com transparência variável – é possível escolher a incidência de luz que invade a cabine por meio de um botão – pode ser recolhida em um processo que leva 20 segundos para ser concluído. Além do ineditismo da nova geração, o roadster também inaugura a nova identidade visual da AMG. O carro ostenta uma grade com dois filetes cromados e a tradicional estrela de três pontas no centro.

O novo Mercedes-Benz SL 65 AMG será lançado no mercado alemão em setembro, com preços que começam em 236.334 euros.

Tópicos: Carros, Autoindústria, Veículos, Carros conversíveis, Guia de Carros, Carros esportivos, Empresas, Mercedes-Benz, Montadoras, Empresas alemãs