Nova York - O artista britânico Banksy, em visita a Nova York, encontrou uma nova forma de chamar a atenção da imprensa: comprou uma pintura numa loja de objetos de segunda mão, acrescentou um soldado nazista a ela e a doou para uma leilão beneficente.

Trata-se da mais nova surpresa do provocador grafiteiro, que se encontra desde o início de outubro em Nova York para fascínio de seus admiradores.

Comprada por 50 dólares e doada ao mesmo bazar Housing Works, que ajuda pessoas sem-teto e portadores de Aids, a obra foi colocada num leilão on-line no site www.biddingforgood.com.

O lance inicial é de 74.000 dólares, mas até o início da tarde desta quarta já havia alcançado mais de 220.000 dólares e deve chegar a um milhão de dólares quando o leilão for encerrado na noite de quinta-feira.

As obras de Banksy, cuja verdadeira identidade é segredo, são vendidas por milhares de milhões de dólares nas galerias de arte.

No quadro leiloado, Banksy "vandalizou" a pintura de uma bucólica paisagem de um lago, árvores e montanhas, acrescentando um barco e um soldado nazista sentado de costas. O artista acrescentou sua assinatura "Banksy" à do autor original, "K. Sager".

Ele intitulou sua obra como "A banalidade da banalidade do mal", em referência à célebre obra de Hannah Arendt sobre o fato de que os crimes do regime nazista não foram cometidos por fanáticos ou loucos e sim, muitas vezes, por pessoas comuns.

Tópicos: Artes visuais, Arte, Banksy, Doações