São Paulo - O Grupo Volkswagen ainda sofre os efeitos do dieselgate, escândalo mundial que revelou fraudes nos motores a diesel da empresa.

Para apagar a imagem negativa, no entanto, o Grupo tem concentrado todos os seus esforços em modelos híbridos e elétricos, alterando diversos planos para os próximos anos.

A Audi será uma das responsáveis por essa recuperação, lançando seu primeiro modelo totalmente elétrico já em 2018, o inédito Q6.

De acordo com um anúncio feito pela fabricante, o novo Q6 (nome ainda não confirmado) terá sua produção iniciada em 2018 na unidade fabril de Bruxelas, capital da Bélgica.

Será de lá que sairão também as baterias utilizadas pelo SUV elétrico, concentrando assim todo o processo produtivo do modelo em um único local, contendo custos. Para isso, porém, será necessária a realocação de outros carros da Audi.

O A1, atualmente produzido em Bruxelas, passará a ser feito na Espanha, onde a marca produz o Q3.

Sobre o Q6, a Audi já aponta interessantes detalhes. Posicionado abaixo dos atuais Q5 e Q7, o modelo será totalmente elétrico (não híbrido), equipado com um trio de baterias capaz de entregar aproximadamente 505 cv de potência e autonomia de 500 km.

Serão duas baterias no eixo traseiro e uma no dianteiro, configurando a tração integral padrão do SUV. No visual, a marca já deixa a pista de que o Q6 terá linhas muito próximas do conceito que o previa, o e-tron quattro, mostrado durante o Salão de Frankfurt, em 2015.

A mudança de planos "emergencial" fez com que outras programações precisassem ser adiadas. Para até o final desta década (leia-se até 2020), a Audi já dava como certa a produção do SUV intermediário Q4, além da inédita família TT, que ganharia mais dois integrantes: um crossover de capacidade offroad e um sedã com formas de cupê. 

Tópicos: Empresas, Audi, Empresas alemãs, Carros, Carros elétricos, Veículos, Carros verdes, Autoindústria, Guia de Carros, Setores, Indústria