Músico Chris Cornell cometeu suicídio, afirma legista

Cornell, de 52 anos, foi encontrado morto no banheiro de seu quarto de hotel em Detroit na noite de quarta-feira

Chris Cornell, vocalista do Soundgarden, morreu depois de se enforcar, informou o escritório do médico legista do condado de Wayne nesta quinta-feira.

Cornell, de 52 anos, foi encontrado morto no banheiro de seu quarto de hotel em Detroit na noite de quarta-feira após tocar na cidade com a banda de grunge.

“A causa da morte foi determinada como suicídio por enforcamento. O relatório completo da autópsia ainda não foi finalizado”, disse o escritório do legista em um comunicado depois de realizar uma autópsia inicial.

O agente de Cornell, Brian Bumbery, havia descrito a morte mais cedo como “súbita e inesperada”.

O porta-voz da polícia de Detroit, Dan Donakowski, disse que policiais foram chamados ao hotel de Cornell por um amigo do cantor perto da meia-noite e que o encontraram “caído no banheiro, sem reação, e falecido”.

“O que eu mais anseio em ter – porque tenho feito tantas turnês, especialmente nos últimos dois anos, sozinho – é a camaradagem. É o que nos fazia falta quando não éramos uma banda”, escreveu Cornell no Facebook na terça-feira. O grupo estava no meio de uma turnê pelos Estados Unidos.

Cornell foi vocalista do Soundgarden, uma das principais bandas do movimento grunge nos anos 1980 e 90. Em 1991, a banda lançou o álbum “Badmotorfinger”, que vendeu um milhão de cópias.

Três anos depois o Soundgarden lançou “Superunknown”, sucesso comercial que rendeu dois Grammys ao grupo depois de chegar ao topo das paradas.

Em entrevistas, Cornell falou abertamente sobre sua luta com as drogas na adolescência, e mais tarde com o álcool, mas em 2007 disse estar sóbrio desde que se internou em uma clínica de reabilitação em 2002. Ele também mencionou períodos de depressão e agorafobia.