Mil jogos desde 2009 podem ter tido resultados manipulados

O alerta é da Sportradar, principal empresa de monitoramento de apostadores no futebol e que fornece seus serviços para a Uefa e ligas europeias

Genebra – Cerca de mil partidas da elite do futebol podem ter tido seus resultados manipulados pelo mundo desde 2009. O alerta é da Sportradar, principal empresa de monitoramento de apostadores no futebol e que fornece seus serviços para a Uefa e ligas europeias.

A entidade explica que o número não inclui uma avaliação sobre o Brasil. Mas o País é considerado como sendo de “alto risco” no que se refere à manipulação de resultados.

Desde 2009, 40 mil partidas foram examinadas pelos especialistas. Dessas, mais de 1,4 mil foram consideradas como suspeitas. Mas o trabalho da entidade se concentrou em 997 partidas que tiveram resultados “altamente suspeitos”.

O temor principal é de que eles tenham sido comprados por apostadores que, ao saber do resultado, já fazem aplicações milionárias em casas de apostas da Ásia.

Uma das descobertas do levantamento é de que não são necessariamente as ligas inferiores as mais atingidas pela manipulação.

As suspeitas são de que grupos criminosos atuariam de uma forma três vezes mais intensa nas primeiras divisões que em ligas inferiores. No total, 78% dos casos registrados envolvem jogos das primeiras divisões.

Segundo o levantamento, 88% dos casos suspeitos se referem a jogos de campeonatos nacionais na Europa, América do Norte, Oceania e Ásia.

Além disso, 6% seriam casos de jogos internacionais de clubes e outros 6% envolvem seleções nacionais. Menos de 1% dos casos envolvia categorias de base ou o futebol feminino.

No caso do Brasil, a empresa aponta que ainda não foi convidada pela CBF ou por nenhuma federação regional para fazer um exame da situação no País.

Mas alerta que, em sua avaliação, o Brasil entra nos países de “risco”. Isso porque existem apostas até mesmo da segunda divisão do Campeonato Paulista nas casas de apostas da Ásia e, ao mesmo tempo, diversos clubes estão com sérios problemas financeiros.

A combinação desses elementos abriria caminho para a atuação de grupos criminosos, comprando jogadores e árbitros.

Até hoje, um dos poucos líderes de grupos criminosos no setor do esporte que foi preso é Wilson Raj Perumal. Ele confessou ter manipulado mais de cem jogos, inclusive amistosos preparatórios para a Copa do Mundo de 2010.

Mais recentemente, o campeonato da segunda divisão da França foi alvo de um “terremoto”, depois de acusações de compras de resultados entre clubes. Na Itália, a manipulação chegou a levar grandes clubes a serem rebaixados.