Julio Iglesias não vai mais cantar em cassinos de Trump

"Já cantei muitas vezes em seus cassinos, mas não voltarei a fazê-lo. Me parece um imbecil", disse Iglesias em uma entrevista

O cantor espanhol Julio Iglesias afirmou que não fará mais shows em cassinos que pertençam ao magnata e pré-candidato à presidência dos Estados Unidos Donald Trump, por seus comentários contra os imigrantes.

“Já cantei muitas vezes em seus cassinos, mas não voltarei a fazê-lo. Me parece um imbecil”, disse Iglesias em uma entrevista ao jornal catalão La Vanguardia.

“Acredita que pode consertar o mundo esquecendo o que os imigrantes fizeram por seu país. É um palhaço – e perdão aos palhaços”, completou.

O magnata do setor imobiliário e pré-candidato republicano Donald Trump ganhou a inimizade da comunidade hispânica ao afirmar que, se for eleito presidente, expulsará todas as pessoas sem documentos e ao descrever os mexicanos que entram nos Estados Unidos de forma ilegal como narcotraficantes, criminosos e estupradores.

De acordo com uma pesquisa Washington Post/ABC, 82% dos latinos não têm uma opinião favorável a Trump, contra apenas 15% de apoio ao pré-candidato entre o grupo.

Conhecido pelas baladas românticas e agitada vida amorosa, Julio Iglesias vendeu 300 milhões de discos em sua carreira.

O cantor lançou em 23 de setembro o álbum “México”, que segundo ele será o último de estúdio de sua carreira, que prosseguirá com os shows.