Juiz que não viu mordida de Suárez apita semi do Brasil

O mexicano Marco Rodríguez esteve presente em uma das maiores polêmicas desta edição do torneio

Teresópolis – A Fifa definiu e anunciou neste domingo que o mexicano Marco Rodríguez será o árbitro da partida entre as seleções do Brasil e da Alemanha, na próxima terça-feira, no Mineirão, pelas semifinais da Copa do Mundo. O juiz, de 40 anos, esteve presente em uma das maiores polêmicas desta edição do torneio: a mordida de Luis Suárez em Chiellini durante partida entre Uruguai e Itália, pela fase de grupos.

Rodríguez não enxergou a ação de Suárez durante a vitória uruguaia por 1 a 0, na Arena das Dunas, em Natal. Posteriormente, porém, a Fifa puniu o atacante do Liverpool, o suspendendo por nove partidas, além de impedi-lo de disputar partidas de futebol por quatro meses. Além disso, durante o jogo, Rodríguez expulsou o italiano Claudio Marchisio.

Antes, Rodríguez já havia apitado uma partida nesta Copa. O mexicano foi o árbitro da vitória da seleção da Bélgica por 2 a 1 sobre a Argélia, no Mineirão, em Belo Horizonte, num confronto em que marcou um pênalti para a equipe africana.

A Copa de 2014 é a terceira da carreira de Rodríguez. O árbitro apitou dois jogos em 2006 (Inglaterra 1 x 0 Paraguai e Costa do Marfim 3 x 2 Sérvia) e outros dois em 2010 (Alemanha 4 x 0 Austrália e Espanha 2 x 1 Chile). Além disso, em 2007, foi o juiz da decisão do Mundial de Clubes, em que o Milan derrotou o Boca Juniors por 4 a 2.

Agora, Rodríguez terá a oportunidade de apitar uma semifinal de Copa, mesmo após se envolver em uma partida polêmica na fase de grupos. Como os cartões amarelos foram zerados para as semifinais, Brasil e Alemanha não possuem jogadores pendurados para esse confronto.

A seleção, porém, não poderá contar com o zagueiro Thiago Silva, suspenso pelo segundo cartão amarelo, no Mineirão, além do atacante Neymar, contundido.

A jogada em que Neymar fraturou a terceira vértebra lombar ao levar uma joelhada do colombiano Zúñiga, nas quartas de final da Copa, voltou a provocar reclamações do Brasil em relação aos árbitros.

As críticas já haviam ocorrido em jogos anteriores em razão de lances polêmicos, exceto na abertura do torneio, quando a seleção teve um pênalti em Fred marcado a seu favor.