Fotógrafo francês cria retratos iluminados com estêncil

Fabrice Wittner usa modelos de estêncil para "pintar" personagens iluminados em paisagens da Nova Zelândia e no Vietnã

São Paulo – A luz foi o instrumento escolhido pelo fotógrafo francês Fabrice Wittner para falar de ausência. Criador do projeto Enlightened Souls (Almas Iluminadas, em inglês), Wittner usou moldes em estêncil para levar personagens luminosos à ruas vazias da Nova Zelândia e no Vietnã, num esforço para "retratar as perdas humanas" através da fotografia.

O projeto de Wittner surgiu depois que um terremoto de 6,3 graus destruiu a cidade de Christchurch, na Nova Zelândia, em 2011. O fotógrafo teve então a ideia de homenagear as vítimas do tremor exatamente no cenário onde tudo ocorreu. A criação tomou vida e viajou também para o Vietnã, onde ele escolheu retratar as diferenças entre os moradores das vilas remotas do norte e os habitantes da capital, Hanói.

A intenção, afirma o artista, é "apoiar as cidades feridas através de uma criação artística simbólica". As imagens são baseadas em retratos de pessoas comuns, tiradas pelo próprio Wittner nos dois países. O passo seguinte é criar os moldes com papelão recortado, que é iluminado até criar o efeito chamado "light paiting" (pintura com luz), visto na foto final. Veja imagens do projeto ao lado, e mais retratos no site do fotógrafo.