Federação Inglesa investigará suposto ato racista de Terry

''A FA, ciente da decisão do tribunal no caso de John Terry, tratará de fazer sua investigação'', disse a entidade

Londres – A Federação Inglesa de Futebol (FA) divulgou nesta sexta-feira que iniciará uma investigação própria sobre o suposto ato racista do zagueiro John Terry, do Chelsea, horas depois do atleta ter sido declarado inocente por um tribunal londrino.

”A FA, ciente da decisão do tribunal no caso de John Terry, tratará de fazer sua investigação. A Federação não fará mais comentários por enquanto”, apontou a entidade em um breve comunicado em seu site.

O defensor inglês foi declarado inocente por falta de provas, da acusação de ter proferido comentários racistas contra o também zagueiro inglês Anton Ferdinand, do Queens Park Rangers, durante partida da última edição do Campeonato Inglês, no dia 31 de outubro do ano passado.

O processo aberto pela FA deve durar uma semana, quando deve ser divulgado se haverá ou não punição disciplinar a Terry pelo incidente, que já lhe custou o cargo de capitão da seleção inglesa.

O precedente mais recente foi a punição de oito jogos imposta ao atacante uruguaio Luis Suárez, do Liverpool, acusado de se dirigir ao lateral do Manchester United, Patrice Evra, usando termos racistas.

A associação ”Kick it Out”, que luta para erradicar a discriminação racial nos estádios de futebol, pediu previamente à Federação que atuasse no caso. A entidade ainda lamentou a absolvição de Terry no julgamento. ”A Federação Inglesa deve decidir que ações tomar”, disse o presidente da associação Herman Ouseley, à emissora Sky Sports News.


No veredicto, o juiz Howard Riddle afirmou que ”não há dúvida” que Terry se dirigiu a seu compatriota com termos racistas, mas reconheceu que era impossível desmentir a versão do capitão do Chelsea, por isso o declarou inocente.

Ainda assim, o juiz avaliou que é pouco provável que Ferdinand tenha dirigido palavras de cunho racistas a Terry, embora admita que ”é possível que o jogador achasse isso”, dado o barulho do estádio e o cansaço físico e mental no fim do jogo.

O assunto chegou ao tribunal devido à denúncia de um torcedor que estava no estádio Loftus Road, durante a partida.

Após a sentença, o Chelsea emitiu um comunicado no qual mostrou seu respeito pela decisão do juiz e se comemorou porque o jogador pode se concentrar de novo no futebol. Além de atletas do clube londrino, José Mourinho chegou a testemunhar, através de comunicado.

O jogador corria risco de ser multado caso condenado, em valor máximo que poderia 2,5 mil libras (quase R$ 8 mil). O julgamento deveria ter acontecido antes da Eurocopa, mas acabou sendo adiado para a participação de Terry na competição.