CBF pede ética médica no caso Neymar e promete ação

A entidade promete ações no Conselho Federal de Medicina contra especialistas que estão comentando o caso do jogador do Barcelona

Teresópolis – A CBF subiu o tom para rejeitar os rumores de que o atacante Neymar poderia se submeter a um tratamento alternativo para se recuperar da fratura da terceira vértebra cervical, visando participar de uma eventual final da Copa do Mundo, e divulgou uma nota oficial em que cobra ética médica e promete ações no Conselho Federal de Medicina contra especialistas que estão comentando o caso do jogador do Barcelona, que lesionou na última sexta-feira, durante a vitória da seleção brasileira por 2 a 1 sobre a Colômbia, pelas quartas de final, no Castelão, em Fortaleza.

“A CBF esclarece que o atleta Neymar, com fratura estável de apófise transversa de L3, com excelente prognóstico à sua vida de atleta, desde que a consolidação da mesma se faça no tempo que a boa prática médica requer, e que condutas açodadas colocam em risco sua vida futura como atleta conforme as propagadas em alguns informes de mídia, por colegas médicos, o que, óbvio, não muda a conduta da comissão médica da seleção brasileira. As medidas da ética médica, que requer o caso, serão encaminhadas à análise do Conselho Federal de Medicina para os procedimentos cabíveis ao caso, ao nosso ver de extrema gravidade aos artigos de nosso código de condutas”, afirma a nota oficial.

A divulgação desse comunicado foi mais um passo da ofensiva da CBF contra os rumores que surgiram no último domingo, de que foi oferecida a Neymar a possibilidade de realizar um tratamento alternativo, com infiltrações de analgésicos, para que o jogador tivesse a possibilidade de entrar em campo numa eventual decisão da Copa. A possibilidade, porém, foi rejeitada pelo jogador.

Neymar fraturou a terceira vértebra cervical ao ser atingido pelo lateral colombiano Zuñiga com uma joelhada na partida contra a Colômbia. Substituído imediatamente, o atacante ficará fora da reta final da Copa e, de acordo com o chefe do departamento médico da seleção brasileira, José Luiz Runco, deverá ficar afastado dos gramados por aproximadamente 45 dias.

Mais cedo, em nota oficial, Neymar destacou que apenas Runco e o seu fisioterapeuta pessoal respondem pela sua recuperação e rechaçou a possibilidade de realizar tratamentos alternativos.

Já Runco reiterou que esse tipo de tratamento está descartado e ressaltou que colocar Neymar em campo sem estar recuperado da fratura colocaria a sequência da sua carreira em risco.

Agora, a CBF tenta, com a divulgação dessa nota oficial, encerrar de vez os comentários sobre o processo de recuperação de Neymar da fratura da terceira vértebra cervical, que o deixará de fora da reta final da Copa, começando pelo jogo com a Alemanha, na próxima terça-feira, no Mineirão, em Belo Horizonte, pelas semifinais.