Campeonato Afegão será criado através de reality show

''Escolhemos (para o programa) o nome ''Maidan e Sabz'' (Campo Verde, em livre tradução) para dar uma mensagem de paz", disse o chefe da Federação Afegã de Futebol

Cabul – Sem a tecnologia e a organização dos grandes torneios esportivos, o Afeganistão criará o primeiro campeonato de futebol realizado no país, com jovens de todo o território nacional, que serão escolhidos através de um programa de televisão.

”Escolhemos (para o programa) o nome ”Maidan e Sabz” (Campo Verde, em livre tradução) para dar uma mensagem de paz e estabilidade e para conseguirmos esquecer a violência e o terror. Queremos fazer do país um campo verde”, disse à Agência Efe o chefe da Federação Afegã de Futebol, Keramudín Keram.

Os membros da federação iniciaram os processos de seleção nas 34 províncias afegãs, visando formar oito equipes, e de acordo com Keram milhares de homens decidiram tentar entrar nos times, isso depois de enviarem mensagens de celular para a ”Tolo TV”. O torneio será disputado entre setembro e outubro.

Em cada edição do programa, que começou a ser transmitido pelo canal no dia 9 passado, 30 jogadores são submetidos a uma avaliação mental, física e tática por parte de técnicos e ex-atletas afegãos. Os melhores passarão pela avaliação dos telespectadores, que decidirão os que farão parte dos oito times.

”Tecnicamente não é um torneio profissional, mas um teste. E é a primeira vez que é transmitido em um reality show”, afirmou o dirigente.

A seleção de futebol do país ocupa atualmente o 162º lugar do ranking da Fifa, e os afegãos mais poderosos costumam acompanhar em suas casas os principais campeonatos do mundo.


Apesar da miséria geral e do estado contínuo de guerra, a população dá mostras de seu amor pelo esporte, e na capital Cabul é comum ver camisas e bandeiras de clubes como Real Madrid e Barcelona.

Até a queda do regime talibã em 2001, o futebol era o único esporte praticado oficialmente no Afeganistão, apesar de que os estádios também eram utilizados pelos fundamentalistas para julgamentos públicos diante de multidões.

Mesmo com a insegurança que toma conta do país, a capital continua contando com um grande estádio de futebol, e o esporte ainda é o mais popular, sendo praticado inclusive pelos próprios talibãs.

”O futebol é bom para a saúde, e às vezes nossos milicianos deixam de lado suas armas e jogam uma partida nas montanhas”, disse à Efe o porta-voz dos insurgentes, Zabiullah Mujahid.

Para o dirigente da federação local, no entanto, a mensagem que deve ser repassada é a de que o esporte deve funcionar para reerguer a união e o orgulho dos afegãos, e deixar de lado o racismo, o uso de drogas e a corrupção, que levam a guerra ao país.


Por isso, os jovens, apesar de oriundos de diferentes cantos do país e de serem membros de etnias historicamente conflituosas, dividirão moradia em Cabul durante o reality show.

”Joguei futebol durante seis anos em um campo repleto de sujeira, e agora jogarei na televisão. É meu sonho”, afirmou o comerciante Menalá Sekandari, que tem 22 anos e participa do programa.

”Quero ser o melhor jogador do mundo, e meu sonho é jogar no Real Madrid”, acrescentou.

Sekandari deseja aprender a chutar de uma forma semelhante à do português Cristiano Ronaldo, que bate para o gol ”de maneira diferente”, e também quer mostrar para sua família que ”jogar futebol não é uma forma de perder tempo”.