Campanha visa restaurar cinema mais antigo do Reino Unido

Campanha de arrecadação para restaurar o cinema de Regent Street, o mais antigo do Reino Unido, foi relançada nesta sexta

Londres – Uma campanha de arrecadação de fundos para restaurar o cinema de Regent Street, o mais antigo do Reino Unido, foi relançada nesta sexta-feira em ocasião do 118º aniversário da abertura da sala, localizada no West End londrino.

O Regent Street Cinema, construído em 1848 e considerado o berço do cinema britânico, necessita US$ 12,1 milhões para reabrir suas portas como uma sala de projeções, atividade que deixou de exercer ainda em 1980.

A campanha para restaurar o cinema, que na atualidade está sendo utilizado como uma sala de conferências da Universidade de Westminster, foi iniciada em 2012 com o respaldado de famosos personagens e companhias, sendo que até agora a mesma arrecadou US$ 6,6 milhões.

O impulso desta iniciativa coincide com mais um aniversário da primeira projeção da sala, na qual foi exibida uma sequência de imagens em movimento dos célebres irmãos Lumiére, criadores do cinematógrafo.

Segundo as previsões anunciadas, o projeto de restauração, desenhado pela equipe de arquitetos Tim Ronalds será iniciado em abril, enquanto sua finalização deve ocorrer um ano depois, já que sua reabertura está marcada para abril de 2015.

A restauração incluirá a implantação da última tecnologia para a projeção de filmes, mas a platéia ainda conservará algum dos assentos restaurados da mesma forma que eram no século XIX. Para estimular a arrecadação, alguns assentos serão patrocinados pelos doadores, que, inclusive, poderão grafar seus nomes nas poltronas.

Uma das principais figuras da rádio e da televisão britânica, Sandi Toksvig, que respalda a campanha, disse à agência britânica de notícias local que a reabertura do Regent Cinema “seria fantástica para os jovens porque poderiam mostrar seu trabalho junto ao de grandes profissionais”.

“Este cinema é um lugar no qual podemos celebrar não só o passado, mas o futuro também”, acrescentou.

Asif Kapadia, diretor de cinema e antigo aluno da Universidade de Westminster, comentou que “esta é uma maravilhosa oportunidade para recuperar um lugar que teve um papel vital no nascimento do cinema britânico”.