Armstrong afirma não estar afetado por relatório da Usada

"O que vou fazer esta noite? Passar tempo com a minha família, não estou afetado, e pensar nisto", escreveu o americano

Paris – O americano Lance Armstrong, vencedor de sete edições da Volta da França, escreveu nesta quinta-feira em sua conta no Twitter que não está afetado pela publicação na quarta-feira do relatório da Agência Americana Antidoping (Usada).

“O que vou fazer esta noite? Passar tempo com a minha família, não estou afetado, e pensar nisto”, escreveu o americano, que disponibiliza na mensagem um link para a fundação Livestrong e um artigo no qual explica que celebrará 15 anos servindo pessoas afetadas pelo câncer com eventos especiais entre 18 e 21 de outubro.

De acordo com a Usada, Armstrong “montou o esquema de doping mais sofisticado, profissional e ‘bem sucedido’ já visto na história do esporte”.

A Usada confirmou ter enviado à União Ciclista Internacional (UCI) um relatório de mais de 1.000 páginas, com testemunhos feitos sob juramento por 26 pessoas, entre elas 15 ciclistas que dizem ter conhecimento das práticas de doping da ex-equipe de Armstrong, a US Postal.

Onze destes quinze ciclistas eram ex-companheiros de equipe do americano, entre eles grandes nomes do ciclismo mundial como Tyler Hamilton, George Hincapie, Floyd Landis e Levi Leipheimer.


“Estes ciclistas mostraram uma coragem enorme ao aceitar dizer a verdade. Estes documentos comprovam o uso, possessão e distribuição por Lance Armstrong de produtos destinados a melhorar o desempenho e confirmam a triste verdade a respeito das trapaças da US Postal, equipe que recebeu dezenas de milhões de dólares de subsídios do bolso dos contribuintes americanos”, revelou o comunicado.

De acordo com Travis T. Tygart, presidente da Usada, a US Postal tinha montado um esquema “para pressionar os ciclistas para incentivá-los a usar produtos proibidos e perigosos”.

“Os ex-dirigentes da equipe se achavam acima das leis e ainda têm um papel ativo e importante no esporte hoje em dia”, completou Tygart.

Na terça-feira, o advogado de Armstrong tinha criticado o relatório da Usada, alegando que a agência acumulava as funções de “procurador, juiz, corte de apelação e carrasco”, além de avaliar que os resultados da investigação apresentam versões “incompletas, parciais e contraditórias” dos eventos.

A agência invalidou todos os resultados de Armstrong desde 1998, inclusive as sete vitórias na Volta da França, de 1999 a 2005.

No entanto, a Usada tem apenas autoridade no território americano, o que significa que apenas a UCI pode anular oficialmente esses títulos conquistados pelo americano.

Nesta quinta-feira, a UCI afirmou que se esforçará para dar uma resposta no menor tempo possível sobre o caso.