São Paulo – O sorriso enigmático de Mona Lisa ganhou mais humor com a intervenção de Nelson Leirner. O artista criou a mostra “Quadro a quadro: Cem monas”, que traz 100 obras redecoradas para a Galeria Silvia Cintra + box 4, no Rio de Janeiro, a partir desta terça até o dia 20 de outubro.

Colocadas dentro de caixas de acrílico, as telas foram modificadas com a aplicação de brincos, óculos, batom, bigode, acessórios e outros badulaques coloridos e modernos. Apesar do resultado aparentemente cômico, a intenção do artista não foi fazer piada, nem “restaurar” a obra de Leonardo Da Vinci (como fez a espanhola Cecilia Giménez, de 80 anos, que destruiu uma imagem de Jesus Cristo, de Elias Garcia Martinez).

A releitura de Leirner, que também tem 80 anos, tem o objetivo de ironizar o abuso da tecnologia e das técnicas de edição de imagens, como o Photoshop, e a consequente banalização da imagem da Mona Lisa atualmente.

Todas as transformações feitas por ele nas reproduções foram manuais – para banalizar o banalizado, em um trabalho que durou 10 meses. Confira ao lado algumas imagens presentes na exposição “Quadro a quadro: Cem monas” . 

Tópicos: Arte, Artes visuais, Artistas, Celebridades, Exposições