3 boas razões para substituir a cerveja pelo vinho

Especialista em harmonizações listou bons motivos para você dar uma chance para o vinho

São Paulo – A cerveja é de longe a bebida alcoólica mais consumida no Brasil. Assim como o futebol, ela é também considerada paixão nacional. Mas, de uns tempos para cá, outra bebida tem roubado a cena e conquistado o paladar dos brasileiros: o vinho, seja ele tinto, branco, espumante ou até de mesa.

De acordo com os últimos dados divulgados pela Organização Internacional da Vinha e do Vinho (OIV), o Brasil ocupa a posição de número 20 no ranking global dos países com o maior consumo per capita da bebida. Por aqui, dois litros de vinho são consumidos por pessoa anualmente.

Outro dado interessante comprova o quanto a bebida vem se popularizando no quesito venda. Nos últimos cinco anos, a comercialização de vinhos finos e espumantes brasileiros e importados no mercado interno cresceu mais de 16%.

Segundo o Instituto Brasileiro do Vinho (Ibravin), no ano passado, mais de 128 milhões de litros de vinho foram vendidos no Brasil. Em 2011, esse número era de pouco mais de 110 milhões de litros.

Estatisticamente, a competição entre o consumo de cerveja e de vinho no país é desleal. O brasileiro bebe em média 80 litros de cerveja por ano, de acordo com dados da Euromonitor. O Brasil é o 17º país entre os maiores consumidores da bebida no mundo.

Para o sommelier Rodrigo Bertin, no entanto, é possível diminuir a distância entre o consumo de uma e outra bebida no mercado brasileiro. Segundo o especialista, existem sim razões para substituir a cerveja pelo vinho. “Trata-se de uma bebida muito mais flexível do que a maioria das pessoas pensam”, afirma.

A pedido de EXAME.com, Bertin listou três bons motivos para você dar uma chance para o vinho. Confira a seguir:

Beber mais por menos

Muita gente acha que a cerveja é muito mais em conta do que um vinho, porém isso nem sempre é verdade. “Cada taça de vinho corresponde a um copo grande de chope e uma garrafa de vinho rende em média seis taças, o valor que você gastará para beber seis chopes será muito mais alto do que para consumir uma garrafa de vinho”, explica o sommelier.

Ainda de acordo com Bertin, é preciso derrubar o mito de que vinho bom é vinho caro. “Não, vinho bom é aquele que você gosta de beber e existem ótimos opções a menos de 30 reais”, afirma.

Combina com qualquer prato

Cerveja combina com petisco, com churrasco, com pastel e feijoada. E o vinho também! “As pessoas associam o vinho a comidas sofisticadas e momentos especiais, mas ele pode sim acompanhar qualquer prato do seu dia a dia, desde o almoço em família até o futebol com os amigos”.

Segundo o especialista, o vinho não dá aquela sensação de estufamento e barriga cheia que a cerveja proporciona. “O vinho ainda possui propriedades adstringentes que ajudam na digestão de comidas muito gordurosas, como carnes e frituras”, diz o especialista.

Jogando a favor da saúde

Já foi comprovado cientificamente que o vinho também é um ótimo aliado da saúde. De acordo com o sommelier, a bebida possui propriedades antioxidantes, ajuda no bom funcionamento do coração e ainda possui ação antienvelhecimento.

“Em se tratando do combate à obesidade, o vinho também é muito mais benéfico, isso porque ele possui mais calorias, porém a quantidade de consumo de vinho se comparado com a cerveja é muito menor”, afirma Bertin.

 

Comentários

Não é mais possível comentar nessa página.

  1. Fabrício Domingues

    3 razões dadas por quem não entende o “lado da cerveja”.
    Uma garrafa de vinho possui 750ml, um copo de 400ml de chope artesanal custa a partir de R$10,00, se levar em consideração o valor da litragem, um chope artesanal custa menos que uma garrafa do vinho fino mais barato. Se for pensar em vinho de mesa, o litro da cerveja comercial pode custar a metade do vinho.
    Como assim cerveja harmoniza apenas com comida de boteco, churrasco e feijoada? 150 estilos catalogados e desenvolvidos para apenas 3 tipos de refeição? Sério? Deveria estudar um pouco mais da outra bebida antes de querer comparar com achismo de mesa de bar.
    Sobre as questões de saúde, o álcool traz vários benefícios se consumido em quantidades moderadas, isso a cerveja, a vodca, a cachaça também possuem. Mas grão de cevada que está comprovado ser um cereal superior à quinoa, o lúpulo que traz dezenas de benefícios, isso não é lembrado?
    Quando esses “profissionais” irão parar de querer comparar uma bebida com a outra e entender que estão todos no mesmo barco?

  2. Marcos Juriti

    O problema da cerveja é que as mais tradicionais estão incluindo milho transgênico.