Yuan desvalorizado ajuda exportadores da China

Desvalorização do yuan sobre o dólar pode ajudar setor manufatureiro do país, mas donos de fábricas dizem que a medida pouco afetará desafios maiores

Pequim – A decisão da China de desvalorizar fortemente o yuan em relação ao dólar, anunciada no fim da noite de ontem, vai trazer benefícios moderados para o combalido setor manufatureiro do país, mas donos de fábricas dizem que a medida pouco afetará desafios maiores, como a demanda global anêmica e alta dos custos da mão de obra.

A desvalorização do yuan em 1,9% ante o dólar, o maior ajuste para baixo da moeda chinesa desde 1994, foi elogiada pelos exportadores chineses, muitos dos quais vêm enfrentando dificuldades este ano.

Em julho, as exportações da China sofreram um tombo anual de 8,3%. No acumulado dos primeiros sete meses do ano, as exportações registraram queda de quase 1%, se medidas em dólares.

A mudança cambial implementada por Pequim torna os produtos de exportadores chineses mais baratos em outros mercados.

“O corte (no valor do yuan) definitivamente ajuda as exportações”, comentou Yu Mingliang, diretor de desenvolvimento de negócios da Zhejiang Lianda Forging & Press Co., um fabricante privado de peças mecânicas da cidade de Wenzhou. “Damos boas-vindas a qualquer corte, não importa o tamanho.”

Reduzir o valor da moeda chinesa, porém, está longe de ser uma panaceia para os exportadores chineses. Vários deles dizem enfrentar desafios maiores do que a taxa de câmbio, caso da demanda global fraca e do aumento dos custos dos trabalhadores.

“(A decisão) é boa, mas não boa o suficiente, para os exportadores, considerando-se que o principal motivo por trás da situação ruim aqui é a retração da demanda externa”, avaliou Zhu Qiucheng, gerente-geral de uma fábrica de maquetes de navios próxima a Xangai.

Zhu afirmou também que vem implantando mais linhas de produção automatizadas para compensar o avanço nos custos de mão de obra, que, segundo ele, estão alcançando os níveis vistos em países desenvolvidos.

Segundo os dados mais recentes do Escritório Nacional de Estatísticas da China, o salário médio anual em áreas urbanas do país cresceu 9% no ano passado, a quase 50.000 yuans (cerca de US$ 7.900).

Empregadores de empresas privadas, por sua vez, disseram pagar salário anual médio de 36.390 yuans em 2014, representando aumento de 11,3% em termos nominais ante o ano anterior.