Usinas de açúcar e álcool fecham com controle da gasolina

Os subsídios do governo para a gasolina reduziram a demanda doméstica por biocombustíveis e agravaram um excedente mundial de açúcar

Londres e São Paulo – A Decasa Açúcar Álcool SA empregou 1.200 trabalhadores no ano passado em uma usina em Marabá Paulista, que moía cana-de-açúcar para fabricar açúcar e etanol. Hoje, tudo o que restou foram 22 funcionários, um segurança e seu cachorro.

A usina foi vítima das políticas de controle de inflação do Brasil, maior fabricante de açúcar do mundo e maior produtor de etanol a partir da cana-de-açúcar. Os subsídios do governo para a gasolina reduziram a demanda doméstica por biocombustíveis e agravaram um excedente mundial de adoçantes.

A Decasa, que desativou sua usina e entrou em acordo para vender toda a sua produção de açúcar de cana-de-açúcar para a Odebrecht Agroindustrial, está procurando pagar cerca de R$ 262 milhões (US$ 112 milhões) em dívidas, segundo documentos judiciais.

“É triste”, disse Rubens Germano, líder sindical dos trabalhadores da usina, em entrevista por telefone, de Presidente Prudente. “O lugar ficava cheio de gente o tempo todo e agora é uma casa assombrada”.

A presidente Dilma Rousseff segura os preços da gasolina por meio da participação controladora na Petrobras, para limitar uma taxa de inflação de 5,77 por cento que é a terceira mais alta na América Latina. Apenas 24 por cento dos carros bicombustíveis do Brasil são abastecidos com etanol, menos que os 82 por cento de 2009, disse a empresa de pesquisas Datagro Ltd.

Ao mesmo tempo, os contratos futuros de açúcar estão a caminho da queda mais longa em duas décadas. Desde 2007, 51 usinas fecharam, ou 12 por cento do total do país, segundo o Itaú Unibanco Holding SA, com sede em São Paulo, e a Única (União da Indústria da Cana-de-Açúcar).


Oscilação dos rendimentos

Os investidores estão fugindo. Os rendimentos dos bônus emitidos pela empresa sucroalcooleira Grupo Virgolino de Oliveira SA subiram 12,34 pontos porcentuais neste ano, até 17 de dezembro, para 22,313 por cento, contra um ganho médio de 0,7 ponto porcentual dos bônus corporativos de alto rendimento de países emergentes.

Os ganhos de rendimento dos bônus da Aralco SA Açúcar Álcool emitidos neste ano foram quase 16 vezes maiores que o aumento médio dos bônus de mercados emergentes, enquanto os da Tonon Bioenergia SA foram quase seis vezes maiores.

O Itaú estima que 44 das 63 usinas que são clientes do banco estão perdendo dinheiro pela medição do fluxo de caixa livre, ou o que sobra após as despesas de capital, despesas operacionais e juros, disse Alexandre Figliolino, diretor de agronegócio, em 5 de dezembro, em entrevista.

A Petrobras vende gasolina importada a um preço abaixo do custo desde 2010, depois que os preços do petróleo bruto e a desvalorização do real subiram os custos das importações de combustível.

Embora a presidente Dilma Rousseff tenha permitido um aumento de 4 por cento no preço da gasolina no mês passado, o primeiro desde março, o comunicado de 29 de novembro da Petrobras anunciando a mudança não revelou detalhes da metodologia para ajustes futuros. Desde então, as ações da Petrobras caíram 14 por cento, o pior desempenho do índice de referência do Brasil, o Ibovespa.


O etanol normalmente é mais barato que a gasolina nas bombas porque é queimado mais rapidamente, fazendo com o que os motoristas abasteçam mais frequentemente.

É improvável que o Brasil aumente os preços da gasolina porque a presidente Dilma, 66, buscará a reeleição no ano que vem, diz Arnaldo Luiz Corrêa, diretor da Archer Consulting, com sede em São Paulo, com um maior prejuízo para o lucro das usinas de açúcar. 

Os produtores também podem ser prejudicados pela queda das exportações de etanol para a América do Norte, pois os EUA estão reduzindo os pedidos de biocombustível.

Cidade dizimada

Depois que o equivalente a 20 por cento da população de Marabá Paulista perdeu o emprego, quando a usina Decasa paralisou a produção, “algumas lojas e pequenos negócios fecharam as portas”, disse Germano, o líder sindicalista dos funcionários da empresa.

Danilo Cavalcanti dos Santos, selecionador de cana-de-açúcar de 27 anos de idade que foi demitido no ano passado, disse que ainda lhe devem 12 meses de salários. “Aos poucos começamos a ver a ferrugem nos caminhões, equipamentos que não eram substituídos”, disse ele, em entrevista por telefone, de Presidente Venceslau.

“A gente podia ver o problema a caminho, mas ainda assim é uma surpresa quando ele chega, porque você não quer acreditar que isso realmente aconteceu”.