Trump ameaça montadoras alemãs com imposto de importação de 35%

BMW , Daimler e Volkswagen investiram pesado em fábricas no México, onde os custos de produção são mais baixos do que nos EUA

Frankfurt – Ações das montadores alemãs BMW , Daimler e Volkswagen caíam após o presidente eleito dos Estados Unidos, Donald Trump, ter alertado que vai impor uma tarifa de 35 por cento sobre veículos importados.

Todas as três montadoras investiram pesado em fábricas no México, onde os custos de produção são mais baixos do que nos EUA, a fim de exportarem veículos de pequeno porte para o mercado norte-americano.

Em uma entrevista ao jornal alemão Bild, publicada nesta segunda-feira, Trump criticou as montadoras alemãs por não produzirem mais carros em solo norte-americano.

“Se você quer produzir carros no mundo, então lhe desejo o melhor. Você pode produzir carros para os Estados Unidos, mas para cada carro que vier de fora aos EUA, terá que pagar um imposto de 35 por cento”, disse Trump em comentários traduzidos para o alemão.

“Eu diria à BMW que, se estiverem construindo uma fábrica no México e planejam vender carros para os EUA, sem contar com um imposto de 35 por cento, você pode esquecer disso”, disse Trump, acrescentando que montadoras teriam que construir fábricas nos EUA para evitar essa taxa.

Mercedes-Benz e BMW já possuem fábricas grandes nos EUA, onde montam veículos esportivos utilitários com altas margens.

As ações da BMW caíam 0,85 por cento, ações da Daimler tinham queda de 1,54 por cento e as da Volkswagen perdiam 1,07 por cento no começo das negociações em Frankfurt.

Uma porta-voz do grupo BMW disse que a fábrica na região central do México, em San Luís Potosí, construirá o modelo 3 Series a partir de 2019, visando o mercado mundial. A unidade do México seria um acréscimo a outras fábricas do 3 Series – na Alemanha e na China.

Em junho do ano passado, a BMW prometeu investir 2,2 bilhões no México até 2019 para montar uma capacidade de produção de 150 mil carros por ano.

A Daimler disse ter planos para começar a montar veículos Mercedes-Benz em 2018 a partir de uma unidade de 1 bilhão de dólares compartilhada com a Renault-Nissan , na cidade mexicana de Aguascalientes. A empresa não estava imediatamente disponível para comentários.

No ano passado, a Audi, divisão da Volkswagen, inaugurou uma fábrica de 1,3 bilhão de dólares com capacidade de 150 mil carros perto de Puebla. A companhia não pode ser imediatamente contactada.

Trump salientou que a Alemanha é uma grande produtora de veículos, notando que carros da Mercedes-Benz são frequentemente vistos em Nova York, mas alegou que não há reciprocidade suficiente.

Alemães não estão comprando carros da Chevrolet no mesmo ritmo, disse ele, classificando a relação comercial como uma injusta rua de mão única.

Comentários

Não é mais possível comentar nessa página.

  1. Natanael de Souza

    Na verdade ele só fará isso se as montadoras alemãs fizerem a importação se tiverem cede fora dos EUA.
    O objetivo do Trump é fortalecer a economia dos EUA de dentro pra fora, apenas com a força dos próprios trabalhadores americanos, sem parceria. O cara é um bom profissional, não é a toa que já se reergueu 4 ou 5 vezes depois de falir.