Taxas recuam seguindo a queda do dólar ante o real

Às 10h10, o DI para janeiro de 2017 estava em 15,73%, ante taxa de 15,90% na abertura, mesmo valor do ajuste de ontem

São Paulo – O recuo do dólar ante o real influencia diretamente o mercado de juros futuros nesta quarta-feira, 30. As taxas caem em mais um dia de volatilidade. Os contratos mais longos chegaram a bater as mínimas há poucos instantes.

O recuo dos juros também se sustenta na avaliação positiva sobre a evolução dos dados fiscais do governo central, melhores que o esperado ontem, e na expectativa de que o resultado do setor público consolidado, a ser divulgado pelo BC nesta quarta, às 10h30, também venha melhor que o esperado.

Os agentes econômicos seguem atentos ao desdobramento da votação dos vetos presidenciais e, portanto, à evolução do ajuste fiscal.

Analistas têm no radar a confirmação da saída do ministro Aloizio Mercadante da Casa Civil. A leitura é a de que sua substituição pode melhorar a articulação política do governo, de acordo com profissionais da área de renda fixa. A expectativa contribui para o recuo nas taxas.

Às 10h10, o DI para janeiro de 2017 estava em 15,73%, ante taxa de 15,90% na abertura, mesmo valor do ajuste de ontem. O DI para janeiro de 2021 estava em 15,78%, ante taxa de 15,80% na abertura e 16,10% no ajuste de ontem.

Como mostra notícia das 10h07, a presidente Dilma Rousseff decidiu substituir o ministro da Casa Civil, Aloizio Mercadante (PT), na reforma da equipe prevista para ser anunciada nesta quinta-feira.

Diante do agravamento da crise política, Dilma resolveu dar um sinal mais forte de que pretende “recomeçar” o segundo mandato, ampliando as mudanças e mexendo no coração do governo.

A informação sobre a troca na Casa Civil foi confirmada ao Broadcast, serviço de notícias em tempo real da Agência Estado, por dois interlocutores da presidente.

Na noite de terça-feira, 29, Dilma teve uma longa conversa com Mercadante. Quem assumirá a Casa Civil será o atual ministro da Defesa, Jaques Wagner (PT).