Rio encaminha à Alerj piso salarial da iniciativa privada

O percentual aplicado pelo governo do estado foi 7,53%, maior que a inflação acumulada em 2016, mas menor que o reivindicado pelos profissionais

O governo do estado do Rio de Janeiro enviou hoje (2) à Assembleia Legislativa (Alerj) projeto de lei que fixa o piso salarial regional, que beneficia trabalhadores da iniciativa privada que não contam com o piso definido em lei federal, convenção ou acordo coletivo de trabalho.

O percentual aplicado pelo governo do estado foi 7,53%, maior que a inflação acumulada em 2016, mas menor que o reivindicado pelos profissionais.

O secretário da Casa Civil, Christino Áureo, disse que o percentual determinado pelo governo busca a manutenção do poder de compra dos trabalhadores.

“O estado e o país atravessam um momento de dificuldades financeiras que não permitem atender o pleito das categorias. Buscamos um percentual intermediário, com o objetivo de manter o poder de compra dos trabalhadores”, avaliou o secretário.

O piso vai variar de R$ 1.131,58 – para empregados domésticos, de serviços de conservação, manutenção, entre outros – a R$ 2.887,17 para administradores de empresas, arquitetos, advogados, fonoaudiólogos, fisioterapeutas, terapeutas ocupacionais, entre outros.