Raúl Castro destitui presidente do Banco Central de Cuba

A responsabilidade de dirigir o BCC recai agora sobre Irma Martínez Castrillón, que tem uma trajetória de mais de 30 anos no sistema bancário cubano

Havana – O presidente cubano, Raúl Castro, destituiu o ministro-presidente do Banco Central de Cuba (BCC), Ernesto Medina Villaveirán, que será substituído por Irma Margarita Martínez Castrillón, a primeira vice-presidente do organismo, informou nesta sexta-feira o Conselho de Estado da ilha.

O anúncio foi divulgado mediante um breve texto publicado pela televisão estatal cubana no qual não foram reveladas as razões para a troca no cargo.

A responsabilidade de dirigir o BCC recai agora sobre Irma, formada em Direito Internacional e com uma trajetória de mais de 30 anos no sistema bancário cubano, no qual transitou “desde a base” até sua designação como vice-presidente do BCC em março de 2010.

O Banco Central de Cuba foi criado em 1997 como autoridade reitora, reguladora e supervisora do sistema financeiro na ilha, conformado por nove bancos comerciais – entre eles o Banco Nacional de Cuba -, e 13 instituições financeiras não bancárias.

Esta notícia foi revelada no mesmo dia em que o BCC anunciou a circulação de uma nova moeda de cinco pesos cubanos (CUP), que começará a ser usada em todo o país caribenho a partir de 3 de julho.