Preços dos produtos na saída das fábricas caem 0,26%

Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o índice acumula no ano uma queda de preços de 0,93%

O Índice de Preços ao Produtor (IPP), que mede a variação de preços dos produtos na saída das <a href="http://www.exame.com.br/topicos/fabricas"><strong>fábricas</strong></a>, teve deflação (queda de <a href="http://www.exame.com.br/topicos/precos"><strong>preços</strong></a>) de 0,26%. </p>

No mês anterior, o IPP havia registrado deflação de 0,57%. Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o índice acumula no ano uma queda de preços de 0,93%.

Em 12 meses, no entanto, o IPP tem inflação acumulada de 3,03%. Em julho, a taxa acumulada era de 4,29%.

Entre as quatro grandes categorias econômicas, o IPP teve deflação em três delas em agosto: bens de capital, que são as máquinas e equipamentos (-0,16%); bens intermediários, que são os insumos industriais para o setor produtivo (-0,44%); e bens de consumo semi e não duráveis (-0,26%). Os bens de consumo duráveis tiveram inflação de 0,92%.

Treze das 24 atividades industriais pesquisadas tiveram deflação, com destaque para outros produtos químicos (-2,54%) e alimentos (-0,71%). Onze atividades tiveram inflação, entre elas as indústrias extrativas (4,15%) e a metalurgia (1,51%).