Preços dos alimentos voltam a cair e provocam deflação em SP

Dos sete grupos pesquisados, três apresentaram queda e o que mais influenciou o resultado geral foi alimentação (de 0,06% para -0,52%)

O Índice de Preços ao Consumidor (<a href="http://www.exame.com.br/topicos/ipc"><strong>IPC</strong></a>), medido pela Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (<a href="http://www.exame.com.br/topicos/fipe"><strong>Fipe</strong></a>) na cidade de <a href="http://www.exame.com.br/topicos/sao-paulo"><strong>São Paulo</strong></a>, apresentou deflação na terceira prévia de setembro, com recuo na média de preços em 0,03%, ante alta de 0,01%, na apuração anterior. </p>

Dos sete grupos pesquisados, três apresentaram queda e o que mais influenciou o resultado geral foi alimentação (de 0,06% para -0,52%).

Em despesas pessoais, a taxa passou de um recuo de 0,19% para uma variação negativa de 0,39%. No grupo educação, houve baixa de 0,02%, mas com um movimento de recuperação dos preços, já que na pesquisa passada essa classe de despesa tinha apresentado redução mais expressiva (-0,12%).

No grupo habitação, o índice subiu 0,03%, depois de uma retração de 0,40% na última prévia.

Em vestuário, os preços apresentaram elevação de 1,12%, bem acima do resultado anterior (0,36%). Em transportes, cujos preços se mantinham estáveis, houve alta de 0,23%. Em saúde, foi constatada ligeira desaceleração (de 0,69% para 0,65%).

O levantamento da Fipe capta as variações do custo de vida das famílias com renda mensal entre um e dez salários mínimos.