Dólar R$ 3,27 -0,31%
Euro R$ 3,65 -0,49%
SELIC 11,25% ao ano
Ibovespa 1,60% 62.662 pts
Pontos 62.662
Variação 1,60%
Maior Alta 9,53% JBSS3
Maior Baixa -1,42% EMBR3
Última atualização 23/05/2017 - 17:14 FONTE

Preços do açúcar no Brasil devem continuar elevados em 2017

Embora tenha sido projetada uma leve recuperação de 3% na produção global, o volume não deverá ser suficiente para suprir a demanda

São Paulo – Os preços do açúcar cristal no mercado brasileiro devem continuar em patamares elevados ao longo de 2017, sustentados principalmente por estimativas de novo déficit mundial do adoçante, afirmou nesta segunda-feira o Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (Cepea).

Embora tenha sido projetada uma leve recuperação de 3 por cento na produção global de 2016/17, para 171 milhões de toneladas, o volume não deverá ser suficiente para suprir a demanda, estimada em 174 milhões de toneladas, segundo números do Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA), disse o Cepea.

No centro-sul do Brasil, região que responde por cerca de 90 por cento da safra de cana-de-açúcar do país, a produtividade da safra 2017/18, que se inicia em abril, deve ser limitada pela falta de cana bisada e por baixas taxas de renovação dos canaviais em anos anteriores, disse o Cepea.

Além disso, as áreas que deverão passar por renovação neste primeiro trimestre de 2017 só estariam no ponto de colheita em meados de 2018.

Nordeste

A safra 2016/17 do Nordeste do Brasil, iniciada em setembro de 2016, vem sendo prejudicada pela seca, que tem limitado o desenvolvimento da cana, reduzindo o volume colhido por hectare, observou o Cepea.

Com isso, a moagem pode ser encerrada antes que o previsto, aumentando o período da próxima entressafra na região.

Mas o cenário não é de todo negativo. O clima seco durante a colheita na região contribuiu para elevar o Açúcar Total Recuperável (ATR) médio, uma vez que a seca ajuda a concentrar mais açúcar na cana.