PIB deve crescer a ritmo de 2% no fim de 2017, diz Febraban

Segundo o presidente da Febraban, o spread bancário no país está elevado e sua queda é um dos fundamentos para que o crédito volte a deslanchar

São Paulo – O presidente da Federação Brasileira de Bancos (Febraban), Murilo Portugal, afirmou nesta segunda-feira esperar que a economia brasileira volte a crescer no ano que vem e demonstre um ritmo de expansão anual superior a 2 por cento no último trimestre de 2017.

“Os agentes econômicos começam a ganhar confiança com as medidas que vêm sendo tomadas pelo governo”, disse Portugal durante encontro de banqueiros.

Segundo o executivo, o spread bancário no país está elevado e sua queda é um dos fundamentos para que o crédito volte a deslanchar, mas disse que esse movimento não pode ser feito de maneira forçada.

“É preciso que a queda dos spreads não seja feita com artificialismos”, disse Portugal, referindo-se à diferença entre os juros da economia e o cobrado pelos bancos na concessão de empréstimos.

Portugal comentou ainda que espera que o estoque do sistema de crédito em 2017 cresça 4 por cento e previu estabilidade dos índices de inadimplência no próximo ano.