CMO médio semanal no Sudeste cai para R$ 340,85/MWh

O CMO é considerado um indicador de referência para o cálculo do Preço de Liquidação das Diferenças (PLD), que também deve ser divulgado nesta tarde

São Paulo – O Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS) informou nesta tarde de sexta-feira, 27, que o cálculo do custo marginal de operação (CMO) semanal caiu de R$ 411,26/MWh para R$ 340,85/MWh nas regiões Sudeste/Centro-Oeste, Nordeste e Norte.

Na região Sul, a variação foi de R$ 136,60/MWh para R$ 0,00/MWh.

O CMO é considerado um indicador de referência para o cálculo do Preço de Liquidação das Diferenças (PLD), que também deve ser divulgado nesta tarde.

Em documento referente ao mês de julho, mas com análise para o período de 28/06 a 04/07, o ONS destaca que a previsão é de chuva fraca no trecho incremental à usina de Itaipu e chuva fraca a moderada nas bacias dos rios Jacuí, Uruguai e Iguaçu durante a semana.

“Em comparação com as afluências da semana anterior, prevê-se para a semana operativa de 28/06 a 04/07 recessão nas afluências do subsistema Norte, estabilidade nos subsistemas SE/CO e Nordeste e aumento no subsistema Sul”, aponta o operador.

“Quanto à previsão das afluências para o mês de julho, o subsistema Sul deve apresentar valores bem acima de sua média histórica, os subsistemas SE/CO e Norte levemente abaixo de sua média e o Nordeste significativamente abaixo de sua média histórica”, complementa o material.

O ONS relembra que, no início de junho, uma frente fria permaneceu em Santa Catarina e Paraná por 4 dias consecutivos, ocasionando “valores significativos de precipitação” na bacia do Rio Iguaçu e no trecho incremental à usina de Itaipu.

Copa do Mundo

No mesmo documento, o ONS destaca que a realização da Copa do Mundo possibilitará uma expansão menor da carga de energia gerada no Brasil em julho.

A transmissão de jogos da Copa, sobretudo das partidas do Brasil, provoca redução momentânea de consumo de energia.

“O efeito da Copa do Mundo sobre a carga no mês de julho irá contribuir para um crescimento menor, na comparação com o mesmo mês do ano anterior, acompanhando o que ocorreu ao longo do mês de junho”, destacou o operador.

Com base nesse cenário, a carga prevista para o mês de julho nos subsistemas Sul e Sudeste/Centro-Oeste deve apresentar alta de 0,8% e 1,1%, respectivamente, em relação a julho de 2013.

No subsistema Nordeste, a expectativa de crescimento com base no comportamento do consumo das classes residencial e comercial é de 1,7% em relação ao mesmo mês de 2013.

Já no subsistema Norte, a taxa de crescimento prevista é de 8,5%, refletindo o efeito da interligação ao SIN do sistema Manaus ocorrida a partir de 9 de julho de 2013.

“Retirando o efeito dessa interligação, a carga prevista para o mês de julho apresenta um acréscimo de 2,3% em relação ao mesmo mês do ano anterior”, pondera o ONS.