São Paulo - O movimento de pessoas físicas em busca de crédito aumentou pelo segundo mês consecutivo. De acordo com o Indicador Serasa Experian da Demanda do Consumidor por Crédito, agosto registrou alta de 3,1% sobre julho. O crescimento, entretanto, foi menor do que o registrado em julho quando a taxa subiu 8%. Sobre igual mês do ano passado, a procura foi 2,7% inferior.

A demanda acumulada de janeiro a agosto diminuiu 5,6% na comparação com o mesmo período do ano passado. Na avaliação técnica do Serasa, a maior disposição do consumidor em obter crédito se deve às opções de taxas mais reduzidas para os empréstimos.

A maior alta foi constatada na Região Nordeste (5,2%). Em seguida estão as regiões: Centro-Oeste (4,2%), Norte (3,9%), Sul (3,2%) e Sudeste (2,%).

O levantamento detectou aumento da procura por crédito em todas as faixas de renda, com a maior demanda entre os que recebem até R$ 500 mensais. Nesse caso, houve crescimento de 3,9%. O segundo maior aumento ocorreu nas classes com renda entre R$ 5 mil e R$ 10 mil (3,2%). Entre os que ganham de R$ 2 mil a R$ 5 mil, houve aumento de 2,7%.

Tópicos: Crédito, Empréstimos, Juros, Serasa Experian, Empresas, Experian, Empresas de tecnologia