Roma - Os preços globais dos alimentos ficaram estáveis em fevereiro, próximos de mínimas de sete anos, conforme altas em óleos vegetais e carne compensaram quedas em cereais, açúcar e laticínios, disse a agência de alimentos das Nações Unidas nesta quinta-feira.

Os preços dos alimentos caíram por quatro anos consecutivos e seguem sob pressão de uma ampla oferta agrícola, em uma economia global em desaceleração e de um dólar mais forte.

O índice de preços de alimentos da Organização para Alimentos e Agricultura (FAO, na sigla em inglês), que mede a variação mensal para uma cesta de cereais, oleaginosas, laticínios, carne e açúcar, ficou em uma média de 150,2 pontos em fevereiro, contra uma média revisada de 150 pontos no mês anterior.

O resultado segue-se a uma queda de quase 19 por cento em 2015 e mais uma retração em janeiro.

Os alimentos nos mercados internacionais em fevereiro estavam 14,5 por cento mais baratos que há um ano atrás, disse a FAO.

A FAO projetou a produção de cereais global em 2015 em 2,525 bilhões de toneladas, com retração de 6,3 milhões de toneladas ante a previsão anterior, principalmente devido a menores estimativas de produção de trigo na Índia e no Irã.

Em sua primeira projeção para a produção global de trigo em 2016, a FAO calculou que a colheita deverá atingir 723 milhões de toneladas, 10 milhões abaixo do recorde atingido em 2015.

Tópicos: Alimentos, Trigo, ONU, Preços