O Parlamento grego aprovou, na noite deste sábado, conceder cobertura de saúde a 2,5 milhões de pessoas privadas de seguro médico, como parte central de um programa de medidas destinado a atenuar o plano de austeridade em andamento.

A lei foi votada pela maioria governamental que inclui a esquerda radical Syriza e a direita nacionalista Anel, e que dispõe de 153 dos 300 deputados. A oposição de direita e de extrema direita se opôs, enquanto os socialistas, comunistas e centristas se abstiveram.

Além de dar acesso a seguro médico aos desempregados, a iniciativa inclui cuidados gratuitos para setores vulneráveis como crianças, deficientes e imigrantes.

Estas inciativas são parte do "programa paralelo" que o governo de Alexis Tsipras havia prometido como contrapartida social ao programa de austeridade exigido pelos credores gregos em troca de empréstimos de 86 bilhões de euros no último verão (boreal).

Tópicos: Europa, Grécia, Crise grega, Piigs, Syriza