Hora da verdade

São Paulo - Incertezas com a China, mercados nervosos e petróleo em queda livre: este início de 2016 não tem sido fácil.

Mas há quem ganhe com a volatilidade. Um exemplo é o 36 South, fundo de hedge londrino, que usa a complacência a seu favor comprando proteções contra riscos na alta e depois vendendo no auge das quebras.

A estratégia rendeu 234% após o colapso do Lehman Brothers em 2008 e pode funcionar também agora - se tudo der errado, é claro. É no que aposta Anthony Limbrick, um de seus gerentes de portfólio.

Em entrevista ao Business Insider, ele diz que o mercado está confiando demais na habilidade dos bancos centrais de estabilizarem a situação quando na verdade eles estão sem cartas na manga. 

"Gosto de usar a analogia de que o paciente econômico está tomado pelo câncer - os bancos centrais estão aplicando um desfilibrador, mas há um limite para quanta eletricidade um paciente pode tomar antes de virar um corpo queimado".

Ele também listou "os 4 cavaleiros do apocalipse econômico" que na sua opinião vão prejudicar a economia e limitar a atuação das autoridades nos próximos anos. Veja quais são eles:

Tópicos: Crise econômica, Dívida pública, Dívidas de países, Empregos, Fundos de investimento, Fundos hedge, Tecnologia