Embora os Estados Unidos e a União Europeia tenham confirmado ontem a suspensão de sanções econômicas contra o Irã, o país deverá levar pelo menos nove meses para voltar a assinar contratos de exportação de petróleo, afirmou neste domingo o chefe da estatal iraniana National Iranian Oil, Rokneddin Javadi.

"Atualmente, estamos estudando problemas enfrentados pelos bancos nacionais para esse fim. Depois que esses problemas forem resolvidos, a produção de petróleo e as vendas para o exterior vão aumentar" disse Javadi, citado pela agência de notícias do Ministério do Petróleo.

A volta do petróleo iraniano ao mercado internacional preocupa produtores de outros países e operadores do mercado financeiro porque há atualmente um excesso na oferta global da commodity, o que tem pressionado os preços para baixo. A cotação ficou abaixo do patamar de US$ 30 pela primeira vez em 12 anos na semana passada.

Javadi disse que o Irã planeja aumentar sua produção em 1 milhão de barris por dia. No entanto, seus comentários foram mais moderados em relação ao potencial iraniano de retornar imediatamente ao patamar de centenas de milhares de barris de petróleo por dia. O Irã ainda pode aumentar a oferta de contratos existentes na Ásia, onde os países não colocaram sanções financeiras significativas. Fonte: Dow Jones Newswires

Tópicos: Energia, Energia nuclear, Infraestrutura, Setores, Indústria do petróleo, Indústrias em geral, Indústria, Irã, Ásia, Petróleo